domingo, 8 de março de 2009

É REUMATISMO... UMA PERGUNTA, UMA AFIRMAÇÃO E NENHUM SENTIDO

LEIA O EBOOK REUMATISMOS NÃO EXISTEM

http://drluizclaudio.blogspot.com.br/2015/09/reumatismos-nao-existem-ebook.html

É reumatismo?
Essa pergunta nunca deveria ser feita por quem consulta um médico, pois reumatismo é um mito popular, não é uma doença.
Ao médico devem ser feitas perguntas sobre doenças, não sobre mitos.
Quem pergunta se "é reumatismo", pede para ser enganado.
Para facilitar a comunicação, as pessoas que sentem dor musculoesquelética e consultam um médico, deveriam simplesmente perguntar ao profissional:
- Qual é a doença que tenho? Ou qual é a doença que está causando essas dores?

É reumatismo!
Essa afirmação nunca deveria ser feita por um médico.
Ao dizer que é reumatismo, o médico está omitindo o nome da doença que foi identificada ou, sem ter identificado doença alguma, está dando o nome "reumatismo" para uma doença que ele não sabe qual é.
Se ele soubesse qual é a doença, deveria simplesmente dizer o nome.
Dizer que "é ou não é reumatismo" não esclarece ninguém sobre a doença que a pessoa possa ter, embora sirva de diagnóstico para quem acredita no mito.

Essas pergunta e resposta sem sentidos são a raiz das dificuldades de comunicação entre as pessoas a respeito de reumatismo.

Enquanto a pessoa doente se mantiver sob os cuidados do mesmo profissional, os problemas de comunicação não aparecerão, porque se a pessoa pergunta se "tem reumatismo", o profissional diz que tem e isso os satisfaz.

Mas se a pessoa doente precisar mudar de médico, os problemas de comunicação aparecerão.
O novo profissional que a atender, ao receber a informação de que ela "tem reumatismo" ou estava "sendo tratada de reumatismo", jamais poderá saber o que ela tem ou do que estava sendo tratada, pois reumatismo não é nome de doença. Todo o trabalho feito anteriormente - se é que foi feito... - para estabelecer o diagnóstico deverá ser refeito, com perda de tempo e de recursos.
Por outro lado, se, ao mudar de médico, a pessoa levar a informação de que tem espondilite anquilosante, por exemplo, ou qualquer outro nome de doença conhecida, qualquer médico reumatologista, em qualquer lugar do mundo, saberá o que ela tem e como deveria estar sendo tratada.

Os problemas de comunicação originados pela pergunta e resposta sem sentidos - É reumatismo?! - têm causado muitos transtornos e sofrimento.
Para evitar confusão, quem quiser perguntar se "é reumatismo", deve perguntar apenas:
- "Qual é a doença que tenho"?
Quem ouvir a afirmação "é reumatismo", deve perguntar apenas:
- "Qual é a doença que tenho?"

Apenas a comunicação simples e objetiva pode evitar os problemas causados pelo uso de palavras imprecisas e de sentido duvidoso.

-->

8 comentários:

Anônimo disse...

Dr. Luis, Luto contra Psoríase a mais de 25 anos, mais de 5 anos luto contra Fibromialgia. Tirei os dois ovários e o ultero também a 5 anos e desde então passei a ter pressão alta. Parei de fumar a 5 anos, uma vitória. Comecei a ter dores de estômago e fui ao médico, que me pediu uma endoscópia, resultado gastrite, Hernia e refluxo.Tomo muito remédio.
Fiz a pouco tempo uma ultrasom dos tornozelos e o resultado Paratendinite nos dois.Fiz um exame do sono, resultado Apnéia e Ipopinéia. Meus braços dói muito e está cheio de nodulos. Minhas costas do lado esquerdo dói tanto que fico com falta de ar. Fiz hoje exame de sangue, segundo o médico para saber se tenho reumatismo e também pediu ultrasom dos braços, ombro esquerdo e flango esquerdo.
Veja Dr. Luis quanta coisa em uma pessoa só, mas tudo bem, tenho ótimo astral, sou feliz e amo a vida. Gostaria de saber seu parecer sobre minha situação, gosto muito de sei blog, Parabéns!!!. Meu email é euripiabr@yahoo.com.br. Muito Obrigada!!! Um grande abrço.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

A questão fundamental a ser respondida em uma pessoa com psoríase que tem dor musculoesquelética é se a dor representa o aparecimento de artrite psoriásica.
Cerca de 5% dos pacientes que têm psoríase podem desenvolver essa complicação da doença, que pode causar artrite nas articulações e na coluna. Entretanto, a dor musculoesquelética pode ser apenas mais um sintoma de fibromialgia. De fato, a maioria dos pacientes com psoríase que têm apenas dor, têm fibromialgia e não artrite psoriásica. Basicamente, o que diferencia uma coisa da outra é o aparecimento de artrite, ou seja, uma articulação inflamada, inchada, quente e dolorosa. Fibromialgia não causa artrite. Mas artrite só pode ser reconhecida ao exame físico, ou seja, quando o médico examina as articulações.
Não existe exame de sangue para saber se alguém tem reumatismo, portanto a única coisa que posso lhe dizer é para procurar um médico-reumatologista. Tenho certeza de que ele poderá lhe dizer se as dores que você sente são por causa da fibromialgia ou se você está também com artrite psoriásica.
Muitos médicos chamam fibromialgia e artrite psoriásica de reumatismo. Se você leu algum dos artigos do blog, talvez já tenha entendido porque eu chamo fibromialgia de fibromialgia e artrite psoriásica de artrite psoriásica. Nenhuma dessas doenças é reumatismo nem tipo de reumatismo, exceto para os que querem preservar o mito reumatismo a todo custo.
Parabéns pelo seu ótimo astral. É assim que se enfrenta uma doença.

CONTESE disse...

Oi Dr. Luis Antes de Tudo gostaria de te parabenizaz pelo site.
Fiz um exame a semana passada e ja recebi
obs. que o meu aslo esta em 600 muito alto por sinal..
Gostaria de saber que tipo de medicamento devo tomar e por quanto tempo... antes de mais nada gostaria que o senhor soubesse que vou ao medico me consultar daqui a15 dias mais por esta preoculpada queria tira essa duvida desde ja agradeço pelos esclarecimento tomado
tenha uma boa tarde!
!!
OBS:

Tenho 21 anos quando
tenho uns 10 anos de garganta inflamada e sinto muito frio ate no verão bjs

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Contese:
ASLO de 600 não é doença e não precisa ser tratado.
Se você tem inflamações de garganta de repetição há 10 anos, são essas inflamações que mantêm o seu ASLO elevado, mostrando que seu corpo está se defendendo adequadamente das infecções.
Somente se houver suspeita de uma doença autoimune associada a estreptococos é que o aumento de ASLO passa a ter importância, mas apenas para comprovar que o estreptococo pode ser o agente causador da doença autoimune (leia PARA QUE SERVE O EXAME ASLO).
Na ausência de sintomas de outras doenças, ASLO elevado não tem importância para o diagnóstico, não deve ser solicitado e, qualquer que seja o valor, não precisa ser tratado.

Ingrit disse...

Olá doutor boa tarde!!
Fiz exame de antiestreptolisina (ASLO) e deu positivo 1:16
nao entendi é alto ou nao??? pois como quero engravidar e já perdi duas gestaçoes a medica me pediu para passar no reumato e ele me deu esse exame e outros que deram normais. muito Obrigada!!!! e PARABENS pelo blogger!!!

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Ingrit:

O resultado está normal.

M.G.Cunha disse...

Primeiro, eu tenho a dizer que achei o blog FANTÁSTICO, Parabéns! E, segundo, venho atrás de informações; sobre uma possível febre reumática. Movida por dores musculares, na mandíbula, no pescoço, em todo o corpo; mais concentrada na face e cabeça. Procurei um ordopedista, e, ao fazer uma série de exames; constou alteração no ASLO de 500, VHS 40, PROTEINA C REATIVA 1/4. Por prudencia, o médico solicitou novos exames, antes de começar um tratamento. O pior é que além das dores, também estou sentido um cansaço físico, e alguns desequilibrios físico. Sei, que, tudo isso reforça a questão da febre reumática. Mas, teria uma outra doença que podessem ter essas mesmas caracteristicas, e essas mesmas alteraçoes nos exames?

Agradece;
Ma. das Graças Cunha

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Maria das Graças:
Os sintomas que você relatou não reforçam a possibilidade de febre reumática.
O que reforça a possibilidade de febre reumática é artrite (deve ser identificada ao exame físico das articulações), cardite (deve ser identificada ao exame físico do coração), nódulos subcutâneos (são identificados na pele), eritema marginado (uma mancha de pele característica que precisa ser vista por um médico para ter utilidade no diagnóstico) e coreia (movimentos involuntários no rosto, nos braços e nas pernas). Sem uma dessas alterações, não é febre reumática.
Sugiro que consulte um reumatologista para avaliar o seu caso.