domingo, 22 de março de 2009

TRATANDO FATOR REUMATÓIDE





Tratar fator reumatóide é receitar corticóide para pessoas que sentem dor musculo-esquelética e apresentam fator reumatóide positivo.
Os corticóides são medicamentos que podem ser eficazes no tratamento de qualquer tipo de dor, mas fator reumatóide positivo não é causa e nem explica a causa de nenhuma dor musculo-esquelética.
Assim, quem recebe tratamento para fator reumatóide pode até melhorar da dor por causa do corticóide, mas nem por isso deve acreditar que, porque melhorou da dor, era o fator reumatóide que a estava causando.
Entretando, essa é uma conclusão difícil de a pessoa evitar.
Quando um efeito positivo ocorre como resultado de uma sugestão teórica, isso imediatamente gera a crença de que a teoria está correta.
No caso do fator reumatóide positivo, a sugestão teórica é de que o fator reumatóide é a causa da dor musculo-esquelética e o efeito positivo é a melhora da dor pelo uso de corticóide.
Melhorando a dor, a pessoa passa a acreditar que o problema é o fator reumatóide. Mas não é.

Quem trata fator reumatóide nunca diz que está tratando do resultado do exame.
Alguns profissionais que tratam fator reumatóide dizem que estão tratando "reumatismo" ou "reumatismo no sangue" - esses geralmente só receitam corticóide e anti-inflamatório para o "tratamento". Nesses casos não há dificuldades em descobrir a farsa, pois "reumatismo" e "reumatismo no sangue" não são doenças e a enganação fica evidente.

Outros profissionais, entretanto, dizem que estão tratando artrite reumatóide, que é o nome de uma doença.
Nesse caso, a receita, além de corticóide e anti-inflamatório, incluirá medicamentos como cloroquina ou hidroxicloroquina, metotrexate, azatioprina, sulfassalazina ou leflunomida, porque esses medicamentos são usados no tratamento da doença artrite reumatóide.
O problema é que, quem está recebendo tratamento para fator reumatóide não tem artrite reumatóide e, portanto, não precisa usar esses medicamentos.

Artrite reumatóide é uma doença inflamatória sistêmica de mecanismo autoimune.
A principal manifestação dessa doença é a presença de artrites, ou seja, articulações inflamadas, inchadas, quentes e dolorosas.
Em geral, artrite reumatóide causa artrite em várias articulações ao mesmo tempo, o que é chamado de poliartrite.
As artrites da artrite reumatóide são persistentes, ou seja, uma vez que as articulações inchem, elas permanecerão inchadas por meses ou anos.
Existem doenças em que o inchaço da articulação é transitório, ou seja, ele aparece e desaparece em horas ou dias. Isso não é artrite reumatóide. Artrite reumatóide causa poliartrite persistente, ou seja, as articulações que incham permanecem inchadas por meses ou anos e podem ser identificadas pelo médico ao exame físico.
Pessoas com artrite reumatóide sentem dor, mas na ausência de artrites que possam ser identificadas ao exame físico, a causa da dor musculo-esquelética nunca é artrite reumatóide.

Quando alguém que sente dor musculo-esquelética tem fator reumatóide positivo, a questão fundamental para saber se tem artrite reumatóide não é o fator reumatóide ser positivo; é haver poliartrite ao exame físico das articulações.

Para evitar confusão, as pessoas que sentem dor musculo-esquelética devem sempre, em primeiro lugar, procurar atendimento com um médico-reumatologista.
Se já tiverem sido atendidas por outros profissionais e o exame fator reumatóide já houver sido solicitado, devem procurar o reumatologista para avaliar o resultado positivo, antes de aceitarem qualquer tipo de tratamento para o fator reumatóide.
Quem é tratado de fator reumatóide nunca fica bem. Pode até melhorar um pouco, mas sempre sente dor.

As principais razões pelas quais as pessoas ficam confusas sobre esse assunto são a crença popular no mito reumatismo, a semelhança entre os nomes do exame fator reumatóide e da doença artrite reumatóide e a exploração profissional dessas circunstâncias.

Tratar fator reumatóide não é a mesma coisa que tratar artrite reumatóide. Tratar fator reumatóide é enganação; tratar artrite reumatóide é ciência. É lamentável que os problemas de comunicação ocasionados pela crença em reumatismo façam com que o limite entre enganação e ciência pareçam tão tênues quanto a frase anterior possa sugerir.



2 comentários:

Dani disse...

Olá Dr! Eu tenho 23 anos, trabalho a 9 meses como digitadora de laudos por quase 10 hrs por dia em um laboratorio. Ultimamente tenho sentido muitas dores no ombro direito q fica mais intensa no final do dia, mas agora passou tb para o ombro esquerdo, sindo mtas dores na costas, em todo o braço direito, no pulso e na mão. estou preocupada, ainda ñ fui ha um reumatologista ou um ortopedista, mas vou marcar esta semana, mas antes gostaria q o sr. tirasse minha duvida, será q esse problema é mt sério? Ah, tb desde de ontem eu estou com os pés inchados, tipo pe de mulher grávida, eu aperto com o dedo e fica um buraco, estou sentindo um peso, dores nas pernas e nos pés, as vezes alivia com dorflex, mas estou mt preocupada, o q pode estar acontecendo cmigo?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Dani:
Você precisa consultar um reumatologista para saber o que está acontecendo. Enquanto a causa da dor não for identificada, não é possível saber a gravidade.
Boa sorte.