sábado, 25 de abril de 2009

SE REUMATISMO NÃO É UMA DOENÇA, POR QUE EXISTE UMA ESPECIALIDADE CHAMADA REUMATOLOGIA?

LEIA O EBOOK REUMATISMOS NÃO EXISTEM

http://drluizclaudio.blogspot.com.br/2015/09/reumatismos-nao-existem-ebook.html

"Reumatismo" é um mito popular a respeito da dor e das doenças que causam dor musculo-esquelética.
O mito tenta explicar que qualquer dor e qualquer doença que cause dor musculo-esquelética são "reumatismo", mas essa concepção não explica coisa alguma, ao contrário, complica mais as coisas.
A ciência diz que as doenças que causam dor musculo-esquelética são diversas, cada uma delas tem um nome e nenhuma delas se chama "reumatismo".
A maioria dos médicos quando identifica uma doença que cause dor musculo-esquelética, diz que "é reumatismo". Eu não. Nunca digo isso. Ou eu sei qual é a doença - e nesse caso digo apenas o nome da doença - ou não sei, e nesse caso digo que não sei e que vou procurar descobrir.
Para mim, quando alguém diz que "é reumatismo" ou está ocultando qual é a doença ou está ocultando a própria ignorância. Quando alguém diz "deve ser algum tipo de reumatismo" está dizendo apenas que não sabe qual é a doença. Dizer que "deve ser algum tipo de reumatismo" não é uma afirmação de conhecimento, é afirmação de ignorância.

Se "reumatismo" é um mito então porque a especialidade tem o nome de "reumatologia"?

Porque os que escolheram o nome da especialidade, na primeira metade do século XX, preferiram relacioná-la ao mito. Somente os que fizeram isso poderiam explicar as razões que os motivaram, mas com certeza nada teve a ver com ciência.
De minha parte, penso que agiram dessa forma por razões comerciais. Preferiram escolher para nome da especialidade uma palavra vinculada ao que tanto a população quanto a classe médica consideravam ser uma idéia clara a respeito das doenças. Raciocinaram que quando alguém pensasse em "reumatismo" pensaria em "reumatologia" e procuraria por essa especialidade, o que representaria uma forte propaganda para a classe.
Mas a história mostrou que esse raciocínio não faz sentido, pois a idéia transmitida por "reumatismo" não é clara, conclusão corroborada pelo fato de que ainda hoje a maioria da população não sabe o que é "reumatismo" e desconhece o que é a reumatologia e o que faz um reumatologista.

A pergunta "porque a especialidade tem o nome de reumatologia?" evidencia um raciocínio falso, que está baseado apenas na semelhança entre as palavras "reumatismo e reumatologia".
Quem raciocina dessa forma está pensando que, se existe uma especialidade chamada "reumatologia", deve existir uma doença chamada "reumatismo".
Mas esse raciocínio é puramente verbal e não tem valor científico. A ciência não se baseia em palavras, mas em fatos concretos.

Por exemplo, cardiologia é o nome da especialidade que estuda as doenças do coração (cardio, do latim, significa coração). O coração, como órgão, é algo concreto, pode ser visto, pode ser estudado. Portanto "cardiologia" é um nome científico. Se um dia algum cardiologista louco, raciocinando da mesma maneira como fizeram os reumatologistas arcaicos, quisesse chamar todas as doenças do coração por um só nome, teria que criar uma palavra ridícula como "cardiotismo" para fazer algo semelhante ao que fez a reumatologia.

Nesse caso, seria curioso ver a discussão entre esse cardiologista louco e um reumatologista arcaico a respeito de um caso de febre reumática comprometendo o coração.
- É cardiotismo - diria o cardiologista louco.
- É reumatismo - diria o reumatologista arcaico.
- Nem uma coisa nem outra. É a doença autoimune pós-estreptocócica comprometendo o coração - diria eu, intervindo na discussão.

Doença autoimune pós-estreptocócica que compromete o coração é a mesma coisa que febre reumática, mas prefiro evitar o uso da expressão "febre reumática" que, por causa da palavra "reumática", pode levar alguém a pensar que, por ser "reumática", a tal febre tem que ser "reumatismo".
Febre reumática nada tem a ver com "reumatismo", exceto a semelhança entre as palavras. Febre reumática é uma doença; "reumatismo" é um mito.
Reumatologia nada tem a ver com "reumatismo", exceto a semelhança entre as palavras. Reumatologia é uma especialidade médica de base científica; "reumatismo" é um mito popular de base cultural.
Não existe uma substância química que caracterize uma doença como sendo "reumatismo", não existe uma célula que caracterize uma doença como sendo "reumatismo", não existe um órgão que estando doente caracterize uma doença como sendo "reumatismo". Portanto, "reumatismo" é apenas uma palavra que não tem representação concreta e por isso não é um termo científico, é um mito.
Se o termo não é científico, deveria ser eliminado da ciência, juntamente com toda a nomenclatura que a ele se refere, como as palavras reumatologia, reumatologista, reumático, reumatóide, etc.
Entretanto, dar nome às coisas não é ciência, é política; por isso tudo fica como está e a confusão a respeito do mito continua.

A maior dificuldade para as pessoas entenderem o raciocínio linguístico baseado em palavras que as leva a pensar que se existe uma especialidade chamada reumatologia deve existir uma doença chamada "reumatismo" é que as pessoas comuns não sabem o que é reumatologia nem "reumatismo". Nesse caso o raciocínio se torna totalmente abstrato, baseado apenas no som das palavras.

Um exemplo desse erro de pensamento pode ser visto na expressão "o gostoche fripola os doxes", que consta de um livro sobre filosofia da linguagem.
Quem lê essa expressão não sabe o que é gostoche, não sabe o que é fripola, nem o que são doxes - essas palavras foram inventadas para ilustrar o problema -, mas mesmo assim pode concluir linguisticamente que os doxes são fripolados pelo gostoche.
Se alguém perguntar quem é o fripolador dos doxes, prontamente responderá que é o gostoche.
É um raciocínio lógico baseado somente nas palavras, que não tem significado algum, porque a pessoa que pensa saber que o gostoche é um fripolador dos doxes, continua sem saber o que é gostoche, fripola e doxes.

Seria mais ou menos a mesma coisa que concluir que alguém chamado Antônio Pinheiro tem que ser uma árvore apenas porque tem o sobrenome "pinheiro".
Nesse caso, como sabemos que Antonio Pinheiro é o nome de uma pessoa e que pinheiro é uma espécie de árvore, entendemos facilmente que a frase é um trocadilho com o sobrenome da pessoa e a árvore.
Mas entendemos isso apenas porque sabemos o significado de Antonio Pinheiro, uma pessoa, e pinheiro, uma espécie de árvore; se não soubéssemos, seria difícil, senão impossível, entender o raciocínio linguístico.

É o que acontece quando alguém raciocina com reumatologia ou reumatologista para justificar "reumatismo".
Mesmo fazendo sentido em termos verbais, a conclusão não faz nenhum sentido cientificamente. E para quem está doente, é mais seguro confiar na ciência.

-->

5 comentários:

VIVIAN LV disse...

Dr,
O que é FIBROMIALGIA?
Como diagnosticar e qual tratamento? Gotaria de saber sua opiniao sobre esse tema.
Obrigado.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Vivian:
Tratarei de fibromialgia em um artigo especial a ser publicado brevemente na página principal do blog. Aguarde.

*Bella-Mandy* disse...

Minha filha de 04 anos passou por 04 médicos, 02 pediatras, 01 infectologista,01 cardiologista.Apresentando febre acima de 39,ganglios alterados, erupções na pele do entardecer para a noite sem coceira, quando o dia todo com coceira,nos exames de sangue os leucócitos acima de 13.000, VHS 108 mm, mucoproteína 6,o mg/dl, Fan negativo e PCR 6,0 e dores nas juntas, apresentando poucos inchaços, não conseguiram diagnosticar e agora já com outro pediatra que desconfiava ser ARI sistêmica, mas acha pouco provável, pois não houve melhora com o uso de naproxeno por 20 dias qdo começou a urticária e intolerância ao profenid. Passou agora Prelone junto com o naproxeno por 10 dias, caso não haja resposta irá encminhá-la a um centro de especialidades em São Paulo, haja visto que moramos em Pinda-SP, a 200Km da capital. Estamos nessa luta desde o dia 24 de maio desse ano. Me dê uma luz, por favor. Obrigada!
Goreti
goreticarneiro@yahoo.com.br

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Goreti:

Pelo que você contou, considero que o diagnóstico mais provável seja mesmo a forma sistêmica da artrite idiopática juvenil (AIJ), também chamada de doença de Still.
Alguns ainda chamam AIJ de ARJ (artrite reumatóide juvenil, mas a nomenclatura moderna substituiu a expressão mitológica "reumatóide" pelo termo científico ïdiopática", que significa apenas "de causa desconhecida
O diagnóstico da doença de Still sempre é acompanhado por considerável angústia a respeito de haver alguma infecção ou neoplasia por trás, mas a doença de Still é apenas uma doença inflamatória sistêmica de causa desconhecida, não é uma infecção nem é uma neoplasia.
Na idade da sua filha, é melhor procurar um reumatologista-pediátrico para fazer o diagnóstico. O fato de não ter melhorado com naproxeno não exclui o diagnóstico, da mesma maneira que se melhorar com Prelone não o confirma.
Boa sorte.

goreti disse...

Dr. Luiz Claudio:

Em janeiro de 2009 minha filha de 04 anos começou com uma coceira que não tinha explicação.Em maio teve febre acima de 39,5 por um mês e uma semana,apresentou manchas no corpo que começavam a tarde e desapareciam pela manhã.As vezes reclamava de dor nas articulações.VHS e PCR alterados, anemia leve e moderada, gânglios aumentados, dores abdominais e aí foram uma sucessão de exames, de médicos,de internações, de diagnósticos errados. Finalmente em novembro de 2009, teve outra crise, dessa vez a febre era de 03 a 04 picos diários de 39 e 40°,teve inchaço nas art. e recusa em andar, aumento de baço e fígado e graças a Deus internada no Hosp. das Clínicas em São Paulo, passando por várias e excelentes equipes fechou o diagnóstico de minha linda filha Larissa Helena em ARJ, poliarticular e sistêmica.Hoje em tratamento e bem, às vezes as manchas aparecem e tem um pouco de artralgia de vez em quando.
Gostaria de lhe agradecer por ter me respondido numa hora de tamanho desespero e lhe dizer que o senhor estava certo em sua sugestão, a doença é mesmo ARJ.
Um forte abraço!
Goreti.