domingo, 31 de maio de 2009

MORRENDO DE GOTA





Ninguém morre de gota, entretanto vejo pessoas morrendo de gota todos os dias.
Morrer de gota é o comportamento de quem tem e não conhece a doença, e deixa o que no princípio era apenas uma crise aguda de poucos dias de dor e inchaço no dedão do pé tornar-se uma doença deformante, que enche o corpo de caroços, destrói as articulações e impede o funcionamento adequado dos rins, resultando em insuficiência renal crônica, diálise e morte, após anos sem tratamento ou de tratamentos errados, baseados nas mais variadas crendices.
Mas a morte nesses casos acontece por insuficiência renal crônica ou por complicações da diálise. Ou antes disso, por infarto do coração ou por hipertensão, doenças que caminham ao lado da gota, piorando por ela não ser tratada adequadamente.
Por isso ninguém morre de gota e mesmo assim há pessoas morrendo de gota todos os dias.

Gota é a doença causada pela deposição de cristais de urato de sódio no corpo.
Os cristais de urato de sódio são formados quando há excesso de ácido úrico no sangue. O ácido úrico em excesso se combina com o sódio diluído no sangue, forma o cristal de urato de sódio e esse cristal se deposita, da mesma maneira que açúcar em excesso se deposita no fundo de um copo com água. Os depósitos de urato de sódio na pele, nas articulações e nos rins é que causam as lesões da doença.

A primeira manifestação costuma ser uma crise aguda de artrite, geralmente na articulação do dedão do pé, que incha, fica vermelha, dói muito, mas passa, com ou sem tratamento, em alguns dias.
A melhora que acontece rapidamente impede a pessoa doente de perceber que o que aconteceu foi apenas a primeira manifestação de algo que irá durar a vida toda e que, se não for tratado adequadamente, acabará em deformidades nas articulações, insuficiência renal crônica, diálise e morte.
A primeira crise de gota marca o início do processo de morrer de gota, mas esse processo, com o conhecimento atual, pode ser interrompido e todas as complicações futuras podem ser evitadas.
Portanto, morrer de gota é o resultado de uma série de desleixos que começam com a pessoa doente e com os curiosos que a cercam, passam pelo atendimento médico inadequado e terminam 10 a 20 anos depois no sistema de saúde que não enfrenta adequadamente esse problema.

Após a primeira manifestação, segue-se uma fase em que as crises de artrite se repetem a intervalos variáveis, mas ainda melhoram após alguns dias.
Porque as crises melhoram até mesmo espontaneamente, os doentes são levados a acreditar que tudo o que fazem melhora a doença. Isso serve de base para todo tipo de crendice envolvendo o tratamento de gota e para qualquer um julgar-se capaz de dar palpites sobre como tratar a doença. Essa é a fase em que o doente ri quando fala que tem gota e quando descreve as crises de artrite aguda.
Mas tratar a crise de artrite, que é algo simples, não é a mesma coisa que tratar gota.
O tratamento da gota requer conhecimento da doença e dos medicamentos capazes de modificar a evolução do processo e é melhor realizado por um médico-reumatologista, mas o sucesso depende da disposição do doente para usar a medicação pelo tempo necessário e fazer os controles periódicos que o tratamento requer.
Mas na fase em que o doente ri quando fala que tem gota ou descreve as crises de artrite aguda, dificilmente ele aceita um tratamento prolongado e a realização de exames periódicos para controle. Ele sempre se deixa levar pelo processo de morrer de gota.

Após alguns anos - 5 a 10, em média - as crises inicialmente de curta duração e que melhoravam espontaneamente passam a ser mais prolongadas, se tornam mais frequentes e já não melhoram mais tão facilmente. O número dos que riem nessa fase diminui muito, mas ainda há alguns que são capazes de manter o bom humor.
Entretanto, quando a crise de artrite se torna permanente ou quando surge o primeiro caroço, ninguém mais ri. Quando a doença se torna crônica, o medo toma conta do doente.

O início da fase crônica da doença só acontece porque o tratamento adequado não foi feito na fase aguda.
Gota é uma doença controlável, cujas complicações podem ser completamente prevenidas, mas para isso é preciso que as pessoas sejam esclarecidas sobre o processo e mudem a maneira como vêm a doença, parando de acreditar em crendices para concentrar-se nos conceitos científicos que regem o tratamento.

Infelizmente não há campanhas de esclarecimento com essa finalidade.
Por isso continuam aparecendo pessoas com gota crônica todos os dias. Elas mostram no corpo os resultados desastrosos da ignorância e das crenças em mitos.
O pouco caso com a ciência e com a saúde é implacável e, embora leve anos, sempre resulta em danos que poderiam ser evitados.
É preciso informar que gota é o processo de deposição dos cristais de urato de sódio pelo corpo e que esse processo pode ser controlado, a doença pode ser interrompida, mas o mais importante para conseguir isso é seguir corretamente o tratamento indicado pelo especialista certo.
É preciso informar que gota não é "reumatismo", não é um "tipo de reumatismo", não é o "reumatismo do ácido úrico".
As afirmações correspondentes - "é reumatismo", "é um tipo de reumatismo", "é o reumatismo do ácido úrico" - são inúteis e não esclarecem ninguém sobre a doença ou sobre o tratamento. Quando usadas por especialistas, apenas remetem o doente às crendices e mitos associados com a palavra "reumatismo", servindo apenas para preservar a ignorância a respeito do assunto.



17 comentários:

CARMEN MONEGAL E GLOBO INTERNACIONAL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bina disse...

Olá Dr., cresci ouvindo minha mãe falar que tinha reumatismo no sangue. Como sempre trabalhou com limpeza, possivelmente, possa ter qualquer outra doença das que cita em suas respostas, mas que não foi diagnosticado. O fato que me faz hoje, vir atrás de informação é que ela esta com um pé inchado e, diz ela que, o traumato lhe pediu uma ecografia para ver se não era alguma lesão. Foi descartado a hipótese de trombose, diabete...enfim. Pergunto, gota pode ocorrer no pé inteiro? O pé dela parece um bolinho fofo. Obrigada.
Sabrina, São Leopoldo.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Bina:
A crise de gota mais característica atinge a articulação do dedão com o pé - é a primeira articulação metatarsofalanfeana -, mas a doença pode afetar qualquer articulação do pé e pode afetar o pé todo, se atingir várias articulações ao mesmo tempo.
Sugiro que você leve sua mãe para consultar um reumatologista, se quiser saber se ela tem mesmo gota.

vem para o meio disse...

Dr. Luiz Claudio, estou a mais ou menos um mês com o dedão do pé esquerdo inchado(está inchado 24hs), vermelho e quente, já fiz o exame de ácido úrico deu negativo, o de reumatismo o negativo era menor que 8 o meu deu 8. O ortopedista pediu que eu procurasse o reumatologista. O que pode ser?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Vem para o meio:
Você escreveu "o de reumatismo o negativo era menor que 8 o meu deu 8"...
Fiquei curioso para saber o que você quis dizer com isso.
Não existe "exame de reumatismo" portanto não sei de qual exame você está falando.

Mimi disse...

Olá doutor, primeiro gostaria de agradecer pela iniciativa de fazer o blog para ajudar a esclarecer as "pessoas comuns", sem conhecimento médico. Obrigada mesmo, de coração.
Eu gostaria de saber uma coisa: ano passado, no inverno, tive o que creio que tenha sido uma crise aguda de gota, meus dedos dos pés incharam muito, todos ficaram vermelhos e muito doloridos, durante a noite eu não suportava encostá-los nem no cobertor, e a mesma coisa aconteceu no dedo indicador da minha mão direita.
Além da dor e do inchaço, eles coçavam muito, especialmente durante a noite. Eu não tinha idéia do que era aquilo e em cerca de duas semanas passou completamente.
Este mês conversei com minha mãe sobre isso e ela me disse que teve a mesma coisa quando jovem e que tinha sido diagnosticada com artrite. Agora apareceram caroços nos dedos dos meus pés e nas mãos, vermelhos que coçam muito, e me causam muito incômodo especialmente durante a noite... Receio que voltem a inchar e que tudo aconteça de novo, e receio ainda mais que seja realmente gota.
O senhor acha que é possível que eu tenha gota? Pois pelo que vi, ela é mais frequente em homens e mulheres mais velhas... mas tenho 21 anos e minha mãe teve artrite muito nova e quase perdeu um rim aos 20 anos de idade. Pode ser que eu tenha herdado dela e por isso esteja manifestando a doença tão nova?
Por último, o senhor recomenda que eu vá a um reumatologista logo, antes que os sintomas piorem? Honestamente não estava dando importância para isso mas tudo o que li me levou a considerar a possibilidade de gota seriamente e me assustou. Desculpe pelo longo comentário e obrigada novamente pela iniciativa.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Mimi:
Não é gota.
Coceira não é um sintoma de gota e aponta para outros diagnósticos.
Sugiro que você procure um reumatologista quando os caroços que coçam aparecerem. Em casos assim, exames de laboratório ajudam pouco e o diagnóstico depende mais do médico ver a manifestação clínica do que do resultado de exames.

Marinalva de jesus ferreira disse...

Olá, Dr. Meu marido vive sofrendo com esse mal ä "gota". Apesar de ter sido diagnósticado o médico apenas receitou "aloupurinol". Porém não tenho observado uma melhora, Já que as crises tem se tornado cada vez mais frequentes. Ele vai ao médico toma uma injeção, vem pra casa com a tal da receita de aloupurinol, mas não é encaminhado para fazer um tratamento sério e eficaz. Como posso ajudá-lo? Obrigado. Marinalva de Iperó. São Paulo.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Marinalva:
Alopurinol é um tratamento eficaz para a gota, desde que seja usado de maneira contínua e na dose certa.
Tomar alopurinol só quando há crises é a maneira mais rápida de não controlar a doença e de desenvolver todas as complicações que ela causa.
Para ajudar seu marido, leve-o para consultar um reumatologista.

angelita disse...

ola,DR.meu dedão estava muito dolorido,inchado e vermelho a uma semana,fui ao médico e quando ele olhou ja falou em gota e me mandou a um especialista,será que realmente pode ser ,pois li que é raro em mulher e que é mais normal ser em mulheres apos a menopausa,eu tenho 35 anos.o que o DR.acha?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Angelita:
Consulte um reumatologista.
Embora muitos médicos digam "é gota" ao ver um dedão inchado, a verdade é que várias doenças podem causar essa manifestação. Em mulheres antes da menopausa sempre deve ser suspeitado de outra causa.
O reumatologista é o especialista indicado para investigar a causa de qualquer inchaço de articulação que não tenha sido machucada.

ClaudiaZanonDimbarre disse...

Olá Dr. Luiz Cláudio, parabéns pelo blog, gostei muito dos assuntos e principalmente sobre a doença Gota.
Meu namorado já tem gota há muito tempo, desde vinte e poucos anos, atualmente está com 38. Já está na fase crônica da doença, com as articulações das mãos todas deformadas e dos cotovelos também.Já nos conhecemos há muitos anos, porém tem alguns meses que namoramos, e como estou fazendo parte do seu dia-a-dia gostaria de saber como ajudá-lo. Ele já toma o medicamento alopurinol e maleato de dexclorfeniramina. E graças a Deus, já tem tempo não sente nenhuma crise de dor aguda, porém gosta de tomar cerveja aos finais de semana, o que me preocupa muito, por que vi que a alimentação é um dos fatores tão, ou talvez mais importante para o tratamento. Minha dúvida é: Como ele já atingiu esta fase da doença e também não cuida com a alimentação, quais os riscos que ele corre, uma vez que já está chegando aos 40 anos. E também se há algum tratamento indicado, tipo uma raspagem nas articulações para retirada dos cristais acumulados.
Desde já agradeço pela atenção,
Abraço,
Cláudia
Curitiba - Paraná

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Claudia:
Mais importante do que a dieta é o uso contínuo do alopurinol (ou de outro medicamento para baixar o ácido úrico no sangue) e manter o controle periódico sobre o ácido úrico para saber se a dose do medicamento está sendo eficaz. A dieta pode ser um complemento ao tratamento medicamentoso, dependendo do caso, mas em qualquer caso sempre será recomendado não ingerir bebidas alcoólicas, principalmente cerveja, mesmo sabendo que a maioria das pessoas que sofrem com gota não aderem a essa recomendação.
O principal risco da gota crônica é a insuficiência renal crônica.
A remoção cirúrgica dos depósitos de cristais é indicada em alguns casos, dependendo do tamanho e da localização dos depósitos. A retirada é feita por ortopedistas mas o tratamento geral da gota deve ser feito por um reumatologista. Se houver insuficiência renal crônica, um nefrologista também deve ser consultado.

SonhoS Coloridos disse...

Olá doutor, obrigada pela oportunidade de esclarecimento Li aqui mesmo um comentário de Mimi de 12 fev 2012...."meus dedos dos pés incharam muito, todos ficaram vermelhos e muito doloridos" (Minhas mãos também incham muito. Antes inchavam e coçavam, agora há também a dor principalmente nos pés , mas também pelas articulações do corpo) Nossa ela estava descrevendo meus sintomas, já estou preocupada, pois eu tbém achava que poderia ser Gota...Alem de gota quais outras doenças tem sintomas semelhantes aos que citei acima?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Sonhos Coloridos:
Diferenciar doenças que produzem sintomas parecidos é o que se chama de diagnóstico diferencial e, no caso da gota, pode incluir várias doenças, dependendo dos sintomas que estão presentes.
A descrição de sintomas não substitui a visualização e o exame físico dos locais afetados, por isso as pessoas doentes não devem tirar conclusões sobre os seus sintomas baseando-se na descrição dos sintomas de outras pessoas.
Dúvidas sobre sintomas individuais de dor e inchaço das articulações e o diagnóstico diferencial dessas situações devem ser apresentadas em uma consulta com um reumatologista.

Unknown disse...

Olá Dr. Luiz Claudio. Gostaria de saber se existe sazonalidade nas crises de gota. Se elas são mais frequentes em alguma época do ano como inverso ou verão, por exemplo. Fico no aguardo, obrigada!

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Não existe. A característica principal das crises é a irregularidade.