sábado, 23 de maio de 2009

SINTO MUITO, JÉSSICA, POR TODOS NÓS

LEIA O EBOOK REUMATISMOS NÃO EXISTEM

http://drluizclaudio.blogspot.com.br/2015/09/reumatismos-nao-existem-ebook.html

... any man's death diminishes me,
because I am involved in mankind,
and therefore never send to know for whom the bell tolls;
it tolls for thee.

A morte de cada ser humano me diminui,
porque sou parte da humanidade,
portanto, não perguntes por quem os sinos dobram;
eles dobram por ti.

John Donne (1572-1631) - Meditation XVII


Transcrevo a seguir o comentário que Jéssica deixou no artigo Reumatismo no sangue, picaretagem e deboche. Pela natureza inacreditável do que ela contou, resolvi responder através deste artigo especial.


Oi, meu nome é Jéssica.
A um ano fui ao médico e ele diagnosticou o tal REUMATISMO, disse que foi devido a tomar muito refrigerante. Não entendi direito, ele receitou a benzetacil e eu fui pra casa. Logo depois fui a outro médico e ele me disse que oq eu tinha era devido a uma inflamação bacteriana na garganta, ele comentou o nome da tal bacteria que tinha provocado a minha doença, não lembro qual foi, mas ele comentou que essa bacteria se instalava e destruia algo como tampa de valvulas do coração, ele disse com outras palavras que naum explicar. Eu queria saber se eu não tomar essa injeção pode ocorrer alguma lesão em meu coração? Realmente depois de 5 anos tomando a benzetacil a doença que eu tenho vai sumir? Eu tenho 18 anos e ao certo não sei qual o melhor tartamento nem quais são os riscos dessa doença!Obrigada.



Jéssica:

Sinto muito por você ouvir bobagens tão extraordinárias como a de que "reumatismo" foi causado por tomar muito refrigerante.
Já ouvi muitas bobagens a respeito de "reumatismo", mas essa é a maior de todas, até agora.
Digo "até agora" porque sei que outras maiores virão, com certeza, pois a estupidez humana não tem limites.
A anterior era "reumatismo é coisa séria", o tema da atual campanha de divulgação da Sociedade Brasileira de Reumatologia. Ao afirmar que é coisa séria, eles estão divulgando "reumatismo" como um diagnóstico, ou como uma doença, não sei bem ao certo o que pretendem, mas parece apenas parte da estratégia mais ampla de preservar o mito "reumatismo" a todo custo, mesmo contra todas as provas científicas mostrando que "reumatismo" não é uma doença e, portanto, não pode ser um diagnóstico.
Há décadas eles repetem as mesmas ideias sobre "mais de 100 tipos de reumatismo" e acreditam que essa linguagem esclarece as pessoas sobre os problemas culturais envolvidos na crença popular em "reumatismo". Mas nada esclarece.

Há muitos anos deixei de ser sócio da Sociedade Brasileira de Reumatologia, principalmente por discordar da maneira como lida com esse problema cultural do nosso país.
É por causa de campanhas como "reumatismo é coisa séria" que absurdos como o que você ouviu continuam a ser ditos todos os dias. Como os especialistas não conseguem esclarecer a população, os espertalhões se aproveitam da confusão.
O que acontece é que os especialistas da Sociedade Brasileira de Reumatologia recusam-se a reconhecer a verdade sobre o mito "reumatismo" em nosso país e querem impor à população a noção que eles acreditam ser verdadeira, derivada principalmente das ideias do Colégio Americano de Reumatologia.
Talvez o que eles pretendam ensinar seja verdade para o povo norte-americano ou europeu, mas aqui não é.

Aqui "reumatismo" é causado por tomar muito refrigerante, por trabalhar com quente e frio, aumenta o volume do sangue, faz o sangue virar pus e outras bobagens semelhantes.
É com esse tipo de mentiras que a população é enganada.
Infelizmente, enquanto o mito "reumatismo" não for desmascarado, absurdos como o que você ouviu continuarão a ser proferidos. E enquanto os especialistas não se definirem contra essa situação, é compreensível que as pessoas continuem sem entender a maior parte das explicações que recebem.


Você não contou o que sentia na época das consultas, portanto só é possível comentar sobre a explicação que recebeu.
Na explicação que relatou, disseram que o que você tinha "era devido a uma inflamação bacteriana na garganta" e "a bactéria se instalava e destruia algo como tampa de válvulas do coração".

O coração tem válvulas, mas as válvulas não têm tampas.
As válvulas separam as partes internas do coração e servem para dividir em frações menores o volume de sangue que chega ao órgão.
Quando o coração bate, as frações do sangue que são separadas pelas válvulas podem então ser bombeadas com mais eficácia.

A doença que afeta as válvulas do coração e é causada por uma infecção bacteriana de garganta é a febre reumática (leia Para que serve o exame ASLO), mas a bactéria não se instala nem destrói as válvulas.
Na febre reumática, a lesão das válvulas acontece por causa de uma reação autoimune.
Na reação autoimune, as defesas do corpo que deveriam combater a bactéria, atacam as válvulas do coração porque percebem uma semelhança química entre as válvulas e a bactéria.
É essa reação autoimune que recebe o nome de febre reumática e a única bactéria causadora dessa doença é o estreptococo.
Mas na febre reumática não há estreptococos nas válvulas lesadas. Eles desencadeiam a reação autoimune quando se alojam na garganta e a reação autoimune é que lesa as válvulas, mesmo depois de as bactérias terem sido mortas pelas defesas do corpo.

Por outro lado, existe outra doença em que a bactéria de fato se instala nas válvulas e causa lesões no local em que se instala. Essa doença é chamada de endocardite bacteriana, mas pode ser causada por qualquer tipo de bactéria.
Não precisa ser estreptococo para causar endocardite bacteriana, mas só o estreptococo causa febre reumática.
Além disso, quando se examina as lesões causadas no coração por essas doenças, vê-se que são bem diferentes, principalmente porque na endocardite bacteriana há bactérias nas lesões, mas não há bactérias nas lesões da febre reumática.
As injeções de penicilina tratam a infecção de garganta por estreptococo e previnem os episódios de febre reumática, mas não são o tratamento adequado para endocardite bacteriana.

Então, será que você tem febre reumática? Ou teve endocardite bacteriana? Ou tem outra doença? Ou talvez não tenha nenhuma doença? Talvez você seja apenas mais uma vítima da iatrogenia envolvendo dor musculo-esquelética em pessoas que apresentam ASLO aumentado.
Quando alguém relata explicações confusas como a que você recebeu, tenho visto que a iatrogenia é a causa mais comum.
Pelo que você contou não dá para saber com certeza e diria até que, nesse país, não dá para confiar no tipo de informação que você recebeu.

Se o profissional dissesse "você tem febre reumática", a chance dessa informação ser confiável é maior. Quando um médico faz um diagnóstico, ele sempre diz o nome da doença.
Entretanto, as explicações sobre a doença muitas vezes atrapalham, pois as pessoas podem ficar impressionadas com o que ouvem e esquecer o nome da doença que foi diagnosticada. Mais tarde, ao tentar lembrar, reformulam as explicações da maneira como entenderam e isso cria dificuldades de comunicação.
Por isso, se ouvir o diagnóstico, a pessoa deveria guardar o nome da doença e, ao transmitir essa informação para outro médico, deveria simplesmente dizer o nome da doença. Isso eliminaria os problemas de comunicação que aparecem quando alguém tenta explicar o que acontece na doença.
Os médicos sabem o que acontece nas doenças, as pessoas é que precisam receber essas explicações. Por isso, ao ser informado do nome da doença, caberia ao novo médico apenas verificar se o diagnóstico está correto ou não, sem precisar esforçar-se para entender o que a pessoa quer explicar de maneira não técnica.

Mas há profissionais que não fazem diagnóstico, não dizem o nome das doenças, apenas dão explicações vagas e muitas vezes sem sentido, como a primeira que você recebeu. Outros dizem apenas que "é reumatismo", o que não diz absolutamente nada.

Portanto, para responder às suas perguntas, sugiro que você pergunte ao seu médico se o diagnóstico é febre reumática.
Se você me disser o nome da doença, poderei orientá-la melhor.

No lamento de John Donne sobre a morte de qualquer ser humano, identifico também o meu lamento sobre a ignorância - a ignorância de qualquer ser humano me diminui, diminui a todos nós, pois é parte da ignorância da humanidade. Por isso devemos combatê-la sempre, substituindo os mitos pelas verdades científicas.
Então não perguntes por quem os sinos dobram, eles dobram por todos nós.

-->

6 comentários:

Unknown disse...

MINHA MÃE FEZ O EXAME DOUTOR E O VHS DELA DEU 70 SENDO QUE A MARGEM ERA DE 6 A 15...ELA TAH MUITO PREOCUPADA E EU TAMBEM...SINTOMAS QUE ELA APRESENTA...DORMENCIA NO BRAÇO ESQUERDO E DORES DE CABEÇA FREQUENTE..É MUITO GRAVE NESSA SITUAÇAO...TEM ALGUAM MEDICAÇAO QUE POSSA AMENIZAR A DORMENCIA?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Unknown:
Dormência no braço e dores de cabaça são sintomas que devem ser avaliados primeiramente por um neurologista. Sugiro que consulte um.
É possível que o VHS de 70 nada tenha a ver com dormência e dor de cabeça mas, se o neurologista não encontrar nada que explique os sintomas, será preciso consultar um reumatologista para investigar a elevação do VHS e só então tentar descobrir se a dormência e as dores de cabeça estão relacionadas ao VHS elevado.

Douglas Laquias disse...

ola dr tem 22 anos e a 2meses tenho sofrido com dores na perna direita e meu exame de vhs deu 26 mm so que no meu raio x deu uma mancha no colo do femur elas podem ter alguma relacao?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Douglas:
Podem mas nesse caso é mais importante saber o que é a mancha no colo do fêmur.

anny disse...

Por favor me ajude. Minha mae tem 48 anos está com um inchaço no dedão do pé na parte de baixo ha dias. Ela sente muita dor. Tem diabetes. Medico nenhum sabe diagnosticar. Nesse caso qual o especialista q ela tem q procurar? O que pode ser doutor? Obrigada

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Anny:
Em quem tem diabetes, qualquer inchaço doloroso nos pés, de aparecimento repentino, pode ser consultado tanto com reumatologista como com ortopedista do pé.