sábado, 10 de outubro de 2009

"REUMATISMO" OU DOENÇA "REUMÁTICA"?

LEIA O EBOOK REUMATISMOS NÃO EXISTEM

http://drluizclaudio.blogspot.com.br/2015/09/reumatismos-nao-existem-ebook.html

-->
A leitora Rafaela postou o seguinte comentário em ORIENTAÇÕES PARA POSTAR COMENTÁRIOS NO BLOG:

Bom Dia, tenho um namorado que na infância foi enganado comotendo Reumatismo no Sangue, sendo tratado durante uns 2 anos com benzetacil de inicio todos os dias, depois alternando até parar com a medicação. Agora 25 anos depois ele voltou a sentir dores nos joelhos e em um dos ombros, isso pode ter alguma relação com doença reumática?

Rafaela:
Fiquei satisfeito porque você já entendeu que seu namorado foi enganado com "reumatismo no sangue", mas quando expressou a preocupação com doença reumática, reconheci a necessidade de mais esclarecimentos sobre o assunto, por isso decidi escrever esse artigo para responder à sua pergunta.

Quando alguém é convencido a usar injeções de penicilina todos os dias para "tratar reumatismo no sangue", é evidente para qualquer especialista que a pessoa está sendo enganada. Infelizmente, a população acredita nessa prática e em qualquer instante, muitas pessoas estão sendo enganadas da mesma forma. A crença em "reumatismo" mantém viva essa situação vergonhosa e qualquer referência ao mito renova, revigora e reforça a crença da população. Por isso, a maneira mais eficaz de combater as práticas enganosas relacionadas com "reumatismo" é eliminar da ciência qualquer referência ao mito, o que significa abandonar todas as palavras com ele relacionadas, como reumático, reumática, reumatóide, reumatologia, reumatologista, etc.

Enquanto fazia minha especialização em Reumatologia, eu entendia muito bem o que se pretendia dizer com a expressão "doença reumática" que, naquela época, fazia-me pensar em artrite reumatóide, espondilite anquilosante, lupus eritematoso sistêmico, dermatomiosite, polimiosite, síndrome de Sjogren, síndrome de Reiter, esclerose sistêmica, artrite reativa, febre reumática e outras doenças.
Mas a realidade do mundo acadêmico é diferente da realidade prática, de tratar pessoas nas cidades do interior do país, por isso, ao tomar contato com a realidade cultural da população e descobrir o sistema de enganação que explora a crença em "reumatismo", tomei a decisão de combater essa prática.
A lógica levou-me a entender que combater o mito "reumatismo" significava também combater a expressão relacionada "doença reumática", assim como toda a nomenclatura construída com o radical "reuma".

Houve uma época em que pretenderam chamar a febre reumática de Doença Reumática (com maiúsculas, para diferenciar da expressão "doença reumática" - com minúsculas -, que representaria qualquer doença "reumática"). Mas na língua portuguesa, o nome das doenças não se escreve com maiúscula, portanto o erro gramatical foi um empecilho à adoção desse nome que, hoje, foi abandonado, voltando a doença a ser chamada de febre reumática.
Mas enquanto a Doença Reumática e as "doenças reumáticas" coexistiram, a confusão latente existente nessa construção intelectual, levou-me a criar o epigrama que, ligeiramente modificado, apareceu no primeiro post desse blog (leia REUMATISMO NO BRASIL - UM PROBLEMA DE COMUNICAÇÃO):

A diferença entre
a doença reumática
e
uma doença reumática
é
a indefinição
do artigo ou da razão?


A expressão "doença reumática" é apenas a versão culta da palavra "reumatismo" e, para mim, nada significa.
Não existe uma característica biológica que defina uma doença como sendo "reumática". A expressão é representativa apenas da vontade das autoridades acadêmicas que a criaram. É um mito acadêmico que tem a pretensão de ser culto, mas ainda é um mito. E é pseudociência.

Então, Rafaela, embora você tenha reconhecido que seu namorado foi enganado com "reumatismo no sangue", quando você pergunta se dores nos joelhos e em um dos ombros pode ter alguma relação com doença reumática, você raciocina de maneira inadequada, mostrando ainda os efeitos da crença em "reumatismo".
Na verdade, a preocupação com dores nos ombros e joelhos não deve ser se são ou não são causadas por alguma "doença reumática"; a preocupação deve ser qual médico consultar quando alguém sente dores nos ombros e joelhos. E se as dores nos ombros e joelhos aparecerem sem ter havido traumatismo nesses locais, o médico a ser consultado é o reumatologista.
Cabe ao reumatologista investigar a causa das dores e descobrir se há alguma doença por trás disso.

As doenças que causam dor nessas articulações podem ser:
1) doenças apenas dessas articulações (não há sintomas em outros órgãos ou outras articulações);
2) doenças que causam sintomas em outros órgãos e também nessas articulações (podendo também atingir outras articulações);
3) além disso, as dores podem aparecer na ausência de qualquer doença, sendo consequência de esforço inadequado, por exemplo.

E se o reumatologista descobrir que a causa das dores é artrite reativa, por exemplo, não há vantagem nenhuma em acrescentar o conceito mitológico "artrite reativa é uma doença reumática", porque não é.
Artrite reativa é apenas uma forma de artrite que surge em resposta a uma infecção em local distante das articulações acometidas. Não há nada de "reumático" nisso.
O mesmo raciocínio - que usa a característica biológica da doença para explicar o que ela é - vale para qualquer doença que alguém diga ser "reumática". Sempre há outra explicação melhor do que dizer que a doença é "reumática".
"Reumática" não é uma característica biológica de nenhuma doença; é apenas um adjetivo pomposo, antiquado e sem significado científico, preferido por quem gosta dessa maneira de falar. Não esclarece ninguém sobre o significado de nenhuma doença.
Particularmente, não falo dessa maneira. Para mim existe doença autoimune, porque uma doença autoimune causa fenômenos autoimunes; existe doença infecciosa, porque uma doença infecciosa causa infecção; e uma doença inflamatória causa inflamação; mas uma "doença reumática" causa... confusão.
Por isso não acredito na utilidade da expressão "doença reumática" e não a uso. O significado dessa expressão é o mesmo de "reumatismo", por isso uma "doença reumática" também é um mito.
Em vez de se referir a um adjetivo para caracterizar uma doença, é melhor tanto para médicos quanto para doentes se referirem à doença em si.
Cada doença tem um nome e é pelo nome que deve ser conhecida, não por ser "reumática", "reumatismo" ou "um tipo de reumatismo".

-->

2 comentários:

Mayara disse...

Boa tarde.
Aos 8 anos de idade recebi o mesmo diagnóstico: "reumatismo" ou "reumatismo no sangue". Tinha muita dor de garganta e dores nas articulações, sem inchaço ou manchas avermelhadas, nada.
Hoje tenho 19 anos e fiz tratamento com benzetacil até os 12, aproximadamente.
Nunca entendi muito bem e, como isso era uma tortura para mim, nunca me interessei em saber realmente o que eu tinha. Pra dizer a verdade, até hoje eu não sei. Sempre achei esses termos "reumatismo" ou "reumatismo no sangue" muito vagos. Infelizmente é isso que nos dizem nos consultórios.
Insatisfeita, há algum tempo tenho pesquisado pela internet sobre o assunto e finalmente achei o seu blog, muito instrutivo e esclarecedor.
Quero parabenizá-lo pela iniciativa e que sirva de exemplo a outros “profissionais” que ainda insistem em querer enganar seus pacientes.

Duh disse...

Olá, Dr. Cláudio.
Frequento o forum LupusonLine, e uma usuária indicou seu site.
Estou muito contente por ver um trabalho tão bem feito, educativo e carinhoso como o seu. Seguramente é o melhor local para pesquisas das chamadas
"doenças reumáticas" (infelizmente é como chamam ainda, e é como as pessoas se encontram. Para chegar ao que o senhor pretende vai demorar ainda um pouquinho.).
Tenho a doença auto-imune desde 1975. Surgiu com um aborto espontâneo. Aliás, surgiu mais exatamente depois da curetagem Quando acordei da anestesia não me mexia mais devido aos inchaços absurdos nos joelhos, mãos e praticamente corpo todo.
Há 34 anos havia maior dificuldade para se diagnosticar algo como o que tive. Rodei uma quantidade grande de médicos, juntas médicas, e tive vários diagnósticos.
Disseram artrite reumatóide, reumatismo, lúpus, doença mista do colágeno, Crest, esclerodermia (devido ao esôfago fechado e fibrose pulmonar), síndrome de Sjögren, de Raynaud, Lúpus novamente com esclero branda + Sjögren brando. E a última indicação é novamente o CREST.
Ao longo desses anos tive diversos problemas relativos à doença, que não cabe aqui dizer pois não vai acrescentar nada.
Felizmente há uns 6 anos me trato um médico maravilhoso, Dr. Evandro Mendes Klumb, profundamente interessado no paciente e por consequência no seu problema.
Quero dizer que depois dessa quantidade de diagnósticos decidi há uns anos que tenho doença auto-imune. Sinceramente não me interessa o nome da doença (se eu estiver errada, por favor me corrija).
Um grande abraço, e mais uma vez parabéns pelo seu cuidado com as pessoas - que seguramente tem um local para tirar grandes dúvidas - e pelo trabalho tão dedicado, visivelmente num carinho declarado.
Sucesso!
Maria do Carmo Farias (Duh)