segunda-feira, 9 de novembro de 2009

A IDADE DO "COM DOR"?

LEIA O EBOOK REUMATISMOS NÃO EXISTEM

http://drluizclaudio.blogspot.com.br/2015/09/reumatismos-nao-existem-ebook.html

Em artigos anteriores (veja O MITO "REUMATISMO" - PARTE 1 e 2) expliquei a maneira como os povos primitivos precisavam recorrer à elaboração de mitos para explicar os fenômenos naturais, comportamento que deriva da ignorância dos fenômenos e da necessidade de explicá-los.
Pode ser surpresa para alguns que a sociedade do século 21, detentora de extraordinários avanços tecnológicos, também precise recorrer a mitos para explicar fenômenos dominados pela ciência.
Acontece que o conhecimento científico da sociedade moderna não é o conhecimento de cada uma das pessoas que formam essa sociedade pois, em uma área ou outra, todos somos ignorantes em alguma coisa.
Algumas áreas do conhecimento estão mais sujeitas ao aparecimento de mitos, em virtude do medo que os fenômenos que ocorrem nessas áreas provocam nas pessoas. A medicina é uma dessas áreas e a dor musculo-esquelética, pelo medo da morte, da invalidez ou simplesmente pelo sofrimento que causa, é a maior fonte criadora de mitos na medicina.
O principal mito a respeito da dor musculo-esquelética é “o reumatismo”, que já conta com mais de 2000 anos de crença.
Mais recentemente, algum sujeito criativo e espirituoso criou a expressão “idade do com dor” para representar o mito da dor musculo-esquelética após os 40 anos, que surgiria “por causa da idade”.
Mas... idade não causa dor.

Há muitas doenças que causam dor musculo-esquelética, mas essas doenças ocorrem em qualquer idade e sempre podem ser tratadas, melhoradas ou controladas.
Mas muitas pessoas sem doença alguma acreditam em sentir dor “por causa da idade”.
Se você acha que tem dor aos 40 anos "por causa da idade", pode ter certeza de que há muita gente com 50, 60, 70, etc, que não tem dor nenhuma e essas pessoas são a prova de que a idade não causa dor. Elas podem ser vistas correndo, fazendo musculação, ginástica ou natação; podem ser encontradas em bailes, divertindo-se, vivendo plenamente. São exemplos de como deve ser a vida em qualquer idade.
Mas infelizmente há muitos que, em qualquer idade, estão se lamentando, sofrendo com dor musculo-esquelética persistente e atribuindo as dores que sentem à idade.

Para as pessoas comuns, é mais fácil explicar o fenômeno natural com o mito.

É impossível para quem tem dor musculo-esquelética olhar para trás e ver os anos em que nada foi feito para cuidar do condicionamento físico, do peso, da alimentação adequada e entender que após certo tempo, mesmo na ausência de doenças, o corpo iria mostrar os efeitos desse descuido.
É inaceitável reconhecer que anos de tabagismo resultariam em anos de dor e que isso aconteceria cedo ou tarde.
É muito mais fácil explicar tudo recorrendo a forças que não podem ser controladas e que, portanto, isentam as pessoas de qualquer responsabilidade pelo que lhes acontece.
É mais fácil achar que a dor aparece “por causa da idade” ou “por causa do reumatismo”.

Mas, para a ciência, “reumatismo” não existe e idade não causa dor. Não existe uma “idade do com dor”.

A “idade do com dor” começou como uma piada na mente de algum espertinho, mas na mente de pessoas sem discernimento tornou-se uma explicação satisfatória para o que sentiam. É assim que nascem os mitos, que depois se perpetuam na ignorância.

Os que sentem dor musculo-esquelética persistente e acreditam em mitos continuarão pelo penoso caminho sombrio que escolheram.

Os que gostam de ser enganados com “reumatismo” continuarão usando os mitos para substituir a culpa pelo que fizeram de errado ao longo da vida, ou pelo que não fizeram, quando deveriam ter feito.

E os que acreditam na ciência deveriam combater os mitos e tentar vencer o inimigo invencível, sem jamais se deixar seduzir pela facilidade com que ele pode ser usado para enganar os outros.

-->

Nenhum comentário: