domingo, 9 de maio de 2010

TRATANDO GOTA

LEIA O EBOOK REUMATISMOS NÃO EXISTEM

http://drluizclaudio.blogspot.com.br/2015/09/reumatismos-nao-existem-ebook.html

O princípio científico do tratamento da gota é normalizar o nível do ácido úrico no sangue.
Visto dessa forma, o tratamento da gota parece com o do diabete, que se baseia na normalização do nível de glicose no sangue.
Mas enquanto diabete não causa dor, a principal manifestação clínica da gota são as crises de artrite aguda autolimitadas, que melhoram com ou sem tratamento.
Porque as crises de artrite são tão dramáticas e causam tanta dor, as pessoas que têm gota dão toda importância ao tratamento das crises e pouca ou nenhuma importância à normalização do ácido úrico no sangue.
É raro encontrar um doente de gota que saiba dizer quando fez o último exame do ácido úrico e quanto estava, mas toda pessoa que tem diabete sabe dizer quando fez o último exame da glicose e quanto estava.
O que todo doente de gota sabe dizer é quando foi a última crise e qual medicamento, qual injeção que a fez melhorar. Sabendo disso, as pessoas acreditam que sabem tudo sobre a doença e que a estão tratando corretamente.
Não estão.
O tratamento da crise articular de gota não é o tratamento da doença; é apenas o tratamento de um dos sintomas da doença.

O verdadeiro tratamento da gota é normalizar o ácido úrico no sangue e os medicamentos que fazem isso são diferentes dos usados para tratar as crises de artrite.
Curiosamente, enquanto os doentes de gota se orgulham de saber lidar com as crises, não se envergonham de não saber dizer de quanto é o seu ácido úrico no sangue.
A explicação para esse comportamento está na crença em “reumatismo”.

Porque a crise articular de gota é tão dolorosa e incapacitante, as pessoas associam a doença com o mito “reumatismo” e por isso acreditam que, tratando a dor, resolvendo a crise dolorosa, estão tratando o “reumatismo de gota” ou o “reumatismo do ácido úrico”, expressões que não descrevem a doença e apenas revelam a crença no mito.
Gota não é “reumatismo” porque “reumatismo” não é uma doença; "reumatismo" é apenas um mito popular para qualquer dor musculo-esquelética, seja dor nas articulações, nos ossos, nos músculos ou na coluna.

Cientificamente, gota é um distúrbio metabólico complexo causado pela produção excessiva ou pela eliminação diminuída do ácido úrico do organismo.
Como resultado da produção excessiva ou da eliminação diminuída, o nível do ácido úrico no sangue sobe e se deposita em todos os órgãos, causando primeiramente as crises de artrite, depois os caroços (tofos) pelo corpo e, finalmente, após anos sem tratamento, prejudicando o funcionamento dos rins e levando à insuficiência renal crônica, que necessita de diálise para tratamento.
Nada disso acontece quando o ácido úrico no sangue é controlado e mantido normal por tempo suficiente pelo uso de medicamentos. As crises de artrite desaparecem, os caroços são reabsorvidos e a insuficência renal crônica é evitada.
Mas a normalização do ácido úrico no sangue requer o uso contínuo de medicamentos por vários anos enquanto as crises de artrite podem ser tratadas com facilidade em alguns dias.
Ao acreditar em “reumatismo” e escolher tratar apenas as crises de artrite, a pessoa na verdade está escolhendo o que é mais cômodo e fácil no momento, mas também está escolhendo não dar atenção à uma doença que no futuro causará muito sofrimento que poderia ser evitado.
Na maioria dos casos, a gota pode ser totalmente controlada pelos tratamentos disponíveis atualmente e os casos que evoluem para insuficência renal crônica são resultado do tratamento incorreto e inadequado da doença nas fases iniciais.

O tratamento correto da gota requer consultas frequentes com um reumatologista para controlar, com a repetição periódica do exame de sangue, o uso contínuo dos medicamentos destinados a baixar o ácido úrico, ajustando as doses dos medicamentos de maneira a manter o nível do ácido úrico na faixa normal. Evidentemente, o tratamento das eventuais crises de artrite aguda também deve ser feito, mas esse tratamento, em importância, vem depois da normalização do ácido úrico no sangue.

Enquanto a população pensar em gota como “um tipo de reumatismo”, continuará fugindo da responsabilidade de tratar uma doença metabólica crônica que requer o uso contínuo de medicamentos, porque a crença no mito “reumatismo” impede o aprendizado dos conceitos científicos que regem o tratamento da doença, mantendo a ignorância e perpetuando o descuido e o sofrimento.

-->

Nenhum comentário: