segunda-feira, 5 de julho de 2010

SOFRENDO PELO FAN





A leitora Luciana postou o seguinte comentário ao artigo TRATANDO FAN:

Olá Dr.,
Obrigada pela resposta!
Eu jurooo que não consigo entender pra que o FAN serve!!!
Desculpe a minha ignorância doutor!
Mas preciso entender.. eu tenho auto-anticorpos (conforme meu FAN positivo).. fora isso tenho dor, inchaço, etc e não preciso me preocupar com o fato de ter um FAN positivo??
Parei naquela frase que diz: "Quem será que veio primeiro, o ovo ou a galinha?"..
Veio primeiro o FAN positivo ou os sintomas? Ou o que causou meu FAN positivo foram os sintomas?

Adoraria conseguir me prevenir com todas as suas indicações, que acho que são a base para uma vida saudável e tranquila, + infelizmente, morar aqui em SP sem ter stress, ainda não vai ser possível! rs
Obrigada novamente pela sua ajuda em fazer com que esses termos fiquem mais simples para o nosso entendimento.
Luciana



Não precisa se desculpar, Luciana. Alguns médicos estudam anos para poder entender o FAN; outros, por mais que estudem, jamais conseguem. Muitos outros profissionais de saúde, que não são formados em Medicina, não fazem qualquer ideia do que seja o exame e para que serve... Por isso, não há porque se desculpar.

FAN é um exame laboratorial que fornece apenas informações técnicas e só tem utilidade para o médico que sabe interepretar os resultados.
Para fins de pesquisa, a descoberta do FAN significou um grande avanço no entendimento do sistema imunológico e na compreensão das doenças autoimunes, mas não forneceu todas as respostas necessárias.
Para fins de diagnóstico, o exame é muito útil para quem sabe interpretá-lo e também reconhece as suas limitações.
Entretanto, pelas dificuldades existentes na interpretação do exame, os espertalhões trataram de simplificar a questão inventando, em primeiro lugar, que FAN positivo significa “reumatismo” e, em seguida, que FAN positivo “é lupus”. Com tais afirmações, eles conseguem a façanha de, sem entender nada sobre o significado do exame, dar explicações às pessoas, mesmo que sejam explicações falsas e absurdas.

Acontece que a maioria das pessoas, quando enfrenta uma doença, quer ter certeza sobre o que acontece com o corpo, que doença é, como vai se comportar, se vai causar a morte ou alguma deformidade, etc. Para essas pessoas, afirmações categóricas do tipo “é reumatismo” resolvem a questão porque transmitem a certeza falsa de que se sabe o que é, mesmo quando não se sabe absolutamente nada.
Da mesma maneira, afirmações categóricas do tipo “é lupus” também resolvem a questão, mesmo quando não correspondem à realidade dos fatos.
Infelizmente, as pessoas que acolhem tais explicações escolhem a certeza transmitida pela mentira para não ter de conviver com a incerteza contida na verdade científica sobre as doenças – se o conhecimento científico é incompleto, a incerteza é parte da convivência com a doença, tanto para o médico quanto para o doente.

As informações técnicas transmitidas por um resultado de FAN só fazem sentido para o médico que as analisa.
Após analisar o resultado do exame, o médico deve escolher entre três maneira diferentes de transmitir o significado do exame para a pessoa doente:

1)explicar através de alguma invenção linguística estúpida como “é reumatismo” ou “é lupus”;
2)explicar através de metáforas ou comparações;
3)explicar através do significado técnico do exame.

Já vimos que “é reumatismo” ou “é lupus” não explicam nada.

Metáforas e comparações transmitem ideias abstratas que precisam ser interpretadas de acordo com a capacidade intelectual de cada um. Assim, se alguém disser que FAN 1:640 é como se 640 soldados do seu exército estivessem lutando contra você mesmo, quem ouve essa explicação pode pensar que o exame mostra que há alguma espécie de guerra biológica em seu organismo e até mesmo quantos são os inimigos envolvidos. Se essa pessoa vier a repetir o exame e o valor diminuir, pode concluir que está vencendo a guerra e, ao contrário, se o valor aumentar, pode concluir que a está perdendo. Mas nada disso estará ocorrendo, pois o resultado do FAN não significa nenhuma guerra biológica interna e as variações do exame não representam nenhum desfecho previsível para uma guerra biológica inexistente.

A única maneira de transmitir a informação correta sobre o resultado do FAN é explicar tecnicamente o resultado do exame e, quem quiser entendê-lo, precisará também analisar o resultado tecnicamente, o que significa aprender sobre as diluições usadas na realização do exame e o que representam as variações de diluição observadas ao longo do tempo, os padrões de coloração que são vistos ao microscópio e o significado biológico de cada um deles, quais têm significado patológico, quais são inexpressivos e, finalmente, como cada uma dessas variáveis se relaciona com o que a pessoa sente e a maneira como a relação entre o resultado do exame e os sintomas muda a interpretação do resultado.

É por isso que, diante de um resultado de FAN positivo e na presença de sintomas, é mais fácil a população acreditar simplesmente que as duas coisas estão relacionadas, baseada na crença de que, se um exame está alterado e a pessoa tem sintomas, o exame alterado é a explicação para os sintomas. Entretanto, essa conclusão só será válida se os sintomas e o exame alterado estiverem relacionados entre si.

Por exemplo, se alguém tem sede excessiva e urina demais, um médico poderá suspeitar de que tem diabete. Nesse caso, se a dosagem de glicose no sangue for 250mg/dl em jejum, o resultado do exame confirmará o diagnóstico de diabete porque glicose de 250mg/dl causa sede excessiva e faz urinar demais.
Entretanto, o corpo humano é um universo finito, mas tem complexidades tão extraordinárias como as do universo infinito. Por isso, é possível que dois fenômenos independentes aconteçam ao mesmo tempo no organismo, sem estarem diretamente relacionados, cada um ocorrendo de acordo com a sua própria causa e produzindo o seu próprio efeito.
Por isso uma pessoa pode ter sintomas dolorosos e FAN positivo, mas a interpretação técnica dos sintomas que apresenta e do resultado positivo do exame podem fazer o médico concluir que os sintomas e o FAN positivo não estão relacionados de maneira nenhuma, não sendo possível dizer o que ocorreu primeiro: é possível que o FAN fosse positivo antes do aparecimento das dores e só foi descoberto depois porque o exame foi solicitado sem necessidade para investigar sintomas dolorosos que não precisam ser investigados com a solicitação do FAN. Se o diagnóstico é fibromialgia, a coexistência de FAN positivo nada tem a ver com as dores que a pessoa sente simplesmente porque dores e FAN positivo são fenômenos diferentes que não estão relacionados entre si.

Reconheço que a compreensão é difícil, mas entender os fatos técnicos é a única maneira exata de entender o que acontece no organismo e de entender também porque um resultado de exame alterado pode não ter nada a ver com o que a pessoa sente.

Por isso é preciso recorrer a um médico para solicitar e analisar os exames e, se o exame é o FAN, é preciso recorrer a um reumatologista. Acreditar em mitos ou fantasias como explicação para fatos biológicos não dá bons resultados - apenas cria mais mitos e perpetua a ignorância.



6 comentários:

Luciana disse...

Olá Doutor,
Obrigada mais uma vez pela sua atenção e pelas suas importantes explicações!
Pelo que vi então é realmente bem difícil de entender o FAN não é!?!?
Fiquei até feliz em saber que não sou só eu que não entende esse tal de FAN! rs
Prometo que vou tentar olhar com “olhos técnicos” pra ver se clareia as minhas idéias! rs
Li algumas explicações para “Nuclear Pontilhado Fino Denso” e vi que realmente é bem inespecífico.. algo bem vago.. que não diagnostica nada mesmo.. enfim..
Na verdade estou tão acostumada a não ser analisada clinicamente quando vou à um consultório que já criei um certo hábito de só acreditar nos diagnósticos através de exames..
À princípio, como acreditar num médico que me examina e me fala: “Luciana, o que vc tem é fibromialgia!”, sem antes ele analisar os exames que me pediu?
Hoje, depois de ler bastante sobre isso, entendo que ainda não existe um exame que diagnostica DOR, ou seja é um diagnóstico clínico.. (a não ser um exame que parece que mostra meu cérebro trabalhando para me fazer sentir dor.. algo assim.. aí talvez poderia tentar achar explicações na área neurológica e não na reumatológica! rs)
Da mesma forma que é difícil acreditar no contrário também, qdo o exame dá um resultado positivo e o médico diz que não é nada.. como no caso do meu FAN que deu Nuclear Reagente, Placa Metafásica Cromossômica Reagente, Nuclear Pontilhado Fino Denso 1/640.. eu realmente pensei exatamente como vc falou: que tinha uma batalha de anticorpos dentro de mim..
Você deve estar pensando: “Ó criatura complicada!!” rs
Mas como vc mesmo comentou, queremos ter certeza do que temos e fico até feliz em saber que existem pessoas sinceras e profissionais o bastante pra me dizer que a ciência ainda não pode me dar as respostas que eu preciso, ao invéz de me dar um falso diagnóstico.
Vou te explicar o principal porquê de eu estar “sofrendo pelo FAN”..
To numa fase de fazer alguns sonhos antigos finalmente se tornarem realidade e caso o que eu tenho fosse algo mais sério, iria ser bem complicado pra mim.. por exemplo, sonhei a minha vida inteira em ser mãe e agora que estou finalmente podendo planejar um filho, como ficar tranqüila sem saber o que ele herdaria geneticamente de mim.. se eu poderia tê-lo tranquilamente.. essas coisas entende?
Sei que posso realmente estar sofrendo por antecipação, mas confesso que me preocupei bastante com isso..
Agradeço mais uma vez pela sua ajuda!
Que Deus continue te iluminando!
Luciana

musidoll disse...

OLAAA DOUTOR, PARABENS PELO SITE!
Bem tenho depressao profunda e no auge da minha depressão, 2 anos atras ,eu ficava tao nervosa que comecei a sentir dores pelo corpo todo( todo mesmo)e sinto um queimor pelo corpo tbm. Dai fiz o exame fan e C reatina.
o fan deu o nucleolo reagenre o resto deu nao reagente e o c reatina deu 0,11 . Dai o medico disse que 0,11 é menor que 0,3 e tbm que sÓ uma coisa dando reagente nao diz que estou com doença auto-imune. Ele esta corRETO?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Musidoll:

A informaçâo está correta.
Depressâo também causa dor no corpo,logo nâo é preciso procurar uma doença autoiune para explicar a dor em quem tem depressâo.
A solicitaçâo de FAN para investigar a queixa de dor é desnecessária e geralmente causa mais preocupaçâo, se o resultado for positivo.
FAN positivo nâo explica a causa da dor em nenhuma doença, nem nas doenças autoimunes, e FAN positivo nâo significa que uma doença autoimune esteja presente.
Se vocë quiser saber o significado do FAN reagente para nucléolo, consulte um reumatologista.

Joselma disse...

Bom dia Dr. as in formações não me deixa feliz..porque é ruim não saber o certo do nosso problema.
TENHO- NÚCLEO REAGENTE E - PLACA
METAFASICA CROMOSSOMICA
REAGENTE. (1:640)

O medico nunca tem uma resposta do que eu tenho.. se n ão é Reumatismo e não é Lupos. O que eu tenho então.

POR FAVOR ME DÊ UMA RESPOSTA.


JOSELMA CARMEM CHAGAS

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Joselma:
O resultado desse exame nunca diz o que a pessoa tem, ou seja, nunca faz o diagnóstico. O diagnóstico só pode ser feito através da história dos sintomas e dos achados do exame físico feito pelo médico e o resultado do FAN é interpretado em conjunto com essas informações.
Pessoas que não entendem esse processo, que não entendem o que é a Medicina, sentem-se felizes e seguras quando alguém usa algum resultado de exame para dizer "isso é reumatismo", como se tivesse descoberto a doença que a pessoa tem. Mas a felicidade e a segurança que essas  pessoas enganadas sentem é ilusão pois só são sentidas pelas que acreditam que "reumatismo" é uma doença.  "Reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.
Em vez de esperar que um médico descubra o que você tem sabendo apenas qual é o resultado do FAN, sugiro que esqueça disso e concentre-se em explicar claramente o que sente para que o médico possa fazer um exame físico minucioso, direcionado para o que você sente. Sem essas informações, o resultado do FAN é inútil.
Se você sente dor nas articulações, nos ossos, nos músculos ou na coluna, consulte um reumatologista.
Se você quer saber o significado do FAN positivo no seu caso, consulte um reumatologista.
Se você quer saber se tem lupus, consulte um reumatologista.

Joselma disse...

Obrigado Dr. Luiz.

Eu já passo no Reumatologista ha mais de sete anos. Mais eu queria uma coisa mais concreta, tipo como ficar boa.


Abraço
Joselma.