domingo, 15 de agosto de 2010

FAN POSITIVO





Para explicar o significado clínico do FAN positivo é preciso fazer alguns raciocínios estatísticos que envolvem cálculos matemáticos bastante confusos para quem não está acostumado. Entretanto, se alguém quiser saber qual a forma correta de interpretar o resultado do FAN, precisa conhecer o raciocínio. Se entender o processo, verá facilmente porque as afirmações categóricas “é lupus”, “é reumatismo” e “é reumatismo no sangue” não devem ser aceitas como explicação para o resultado positivo do exame.

Vimos em FAN NEGATIVO que, para saber a chance de uma pessoa com FAN negativo ter lupus sistêmico, precisamos saber apenas, em uma população de pessoas com o diagnóstico de lupus sistêmico, quantas apresentam FAN negativo.

Sabemos que, nas pessoas com diagnóstico de lupus sistêmico, 99% apresentam FAN positivo e 1% FAN negativo. Por isso, a interpretação dos dados estatísticos mostra que, se o FAN é negativo, a chance de ser lupus sistêmico é apenas 1%.

Por outro lado, para sabermos o significado do resultado positivo, precisamos conhecer, numa determinada população, quantas pessoas com FAN positivo têm o diagnóstico de lupus sistêmico.

Veja que, para saber o significado do exame negativo, precisamos saber apenas, das pessoas que têm a doença, quantas têm o exame negativo. Ou seja, a população de estudo são pessoas que já têm o diagnóstico de lupus sistêmico.

Por outro lado, para saber o significado do exame positivo, precisamos saber quantas pessoas com o exame positivo têm a doença, ou seja, a população de estudo é formada por todas as pessoas com o exame positivo, algumas das quais têm a doença e outras não.

Quanto maior o número de pessoas sem a doença que têm o exame positivo, menor a chance de alguém com o exame positivo ter a doença.

Quanto maior o número de pessoas com a doença na população, maior a chance de alguém com o exame positivo ter a doença.

Dessa forma, o significado estatístico do exame positivo depende do número de pessoas que têm o exame positivo (que é maior) e do número de pessoas que têm a doença (que é menor).

O número de casos de lupus sistêmico é variável de local para local mas aceita-se que a doença atinja próximo de 0,5% da população. É uma doença pouco frequente. Lupus sistêmico com FAN negativo é ainda 100 vezes menos frequente; é uma doença rara.

Isso quer dizer que, numa população de 1000 pessoas, 5 terão diagnóstico de lupus sistêmico e provavelmente todas serão FAN positivo pois, para aparecer um diagnóstico de lupus sistêmico com FAN negativo, teríamos que encontrar pelo menos 100 pessoas com a doença, ou seja, precisaríamos de 20000 pessoas no total (0,5% de 20000 é 100).

O número de pessoas que apresentam FAN positivo na população também é variável, mas aceita-se algo entre 10 e 20%.

Se considerarmos 10%, na população de 1000 pessoas do exemplo, em que 5 têm o diagnóstico de lupus sistêmico, teremos no total 100 pessoas com FAN positivo, 5 das quais teriam a doença. Nesse caso, a chance de ser lupus sistêmico quando o FAN é positivo é de 5% (5 em 100).

Se considerarmos 20%, na população de 1000 pessoas em que 5 têm o diagnóstico de lupus sistêmico teremos no total 200 pessoas com FAN positivo. Nesse caso, a chance de ser lupus sistêmico quando o FAN é positivo é de 2,5% (5 em 200), ou seja, quanto maior o número de pessoas com FAN positivo na população, menor o risco de alguém com o exame positivo ter a doença.

A interpretação estatística do resultado do exame leva em consideração apenas o resultado absoluto – positivo ou negativo – a partir de dados populacionais sobre o número de pessoas que têm a doença e do número de pessoas que têm o resultado do exame positivo, mas não leva em consideração o que sentem as pessoas que fazem o exame para fins de diagnóstico, ou seja, qual o quadro clínico que apresentam.

Esses exercícios matemáticos sobre dados estatísticos ajudam a desmitificar o resultado do exame e entender porque a interpretação do resultado positivo nunca é direta, ou seja, FAN positivo não significa doença.

A interpretação clínica do exame, por outro lado, que se destina a diagnosticar a doença em uma pessoa que apresenta sintomas, depende fundamentalmente do quadro clínico, ou seja, os dados da história, do exame físico e dos exames laboratoriais é que dirão como interpretar o resultado.

Assim, se alguém com uma mancha vermelha no rosto, que aparece após a exposição ao sol, apresenta artrites em várias articulações, com dor no corpo e feridas na boca, tem leucócitos diminuídos no hemograma, com diminuição também de linfócitos e plaquetas, e tem proteína e sangue na urina, se essa pessoa apresenta FAN positivo, o diagnóstico de lupus sistêmico é feito porque mancha no rosto causada pelo sol, artrites, feridas na boca (estomatite), diminuição de leucócitos, linfócitos e plaquetas, com a presença de proteína e sangue na urina (evidenciando a presença de nefrite), todas essas manifestações são sintomas de lupus sistêmico e, nesse quadro clínico, se a doença for lupus sistêmico, o FAN sempre será positivo.

Se alguém que apresente o mesmo quadro clínico tiver FAN negativo, sabemos que há 99% de chance de o diagnóstico não ser lupus sistêmico, o que obriga o médico a reavaliar completamente a situação, procurando outra doença para explicar o caso pois, em quadros clínicos como o citado, se o diagnóstico for lupus sistêmico, o FAN tem de ser positivo.

Esses exemplos mostram que a base do raciocínio é o quadro clínico da doença e o exame só tem utilidade para confirmar um quadro clínico que já sugere que a doença esteja presente. Ou seja, primeiro vem o quadro clínico, depois a análise do resultado do exame.

É para isso que serve o exame FAN: diante de um quadro clínico de lupus sistêmico, o resultado positivo confirma o diagnóstico – porque o quadro clínico é de lupus sistêmico – mas o resultado negativo o exclui porque várias doenças podem produzir o mesmo quadro clínico produzido pelo lupus sistêmico, mas nessas doenças geralmente o FAN é negativo.

Quadros clínicos em que a única manifestação é dor, não devem ser diagnosticados como lupus sistêmico apenas porque o FAN é positivo.

Se o único sintoma é dor, a doença não é lupus sistêmico, mesmo que o FAN seja positivo.

Se não há sintomas, a doença não é lupus sistêmico, mesmo que o FAN seja positivo.

Se há sintomas e o FAN é negativo, a doença não é lupus sistêmico.

Se o único sintoma é dor e o FAN é negativo, a doença não é lupus sistêmico.

Por isso o exame FAN não serve para dizer que “é lupus”, que “é reumatismo” ou que “é reumatismo no sangue”. Quem faz afirmações como essas não está usando a ciência para praticar a medicina.



15 comentários:

Luciana disse...

Dr. Cláudio, boa noite..
Li o seu post e achei mto interessante.. mas, como sempre, me restam dúvidas.. :)
lá vai + uma..
pq num primeiro momento me disseram que meu FAN, mesmo sendo positivo 1:640 e reagente no núcleo e na placa metafásica, não tinha significado pq sendo ele pontilhado fino denso é inespecífico?
Vou reformular minha pergunta com base no seu texto.. mesmo que a pessoa tenha mancha no rosto, artrite, poucos leucócitos, poucos linfócitos, sangue na urina, etc, mas se o FAN dela der pontilhado fino denso ela não tem lúpus pq esse pontilhado fino denso não quer dizer nada?
Para que uma estatística seja correta precisamos saber qual é o tipo de FAN que deu nesses casos positivos ou independe do tipo de FAN?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Luciana:

A resposta à sua dúvida está em SOBRE OS PADRÕES DO FAN, que publiquei hoje.
O padrão pontilhado fino denso é considerado inespecífico porque ainda não foi associado com nenhuma doença e porque geralmente é encontrado em pessoas normais.

Iris disse...

Olá, Dr, Cláudio! Recentemente fiz um exame de sangue e meu FAN deu:Reagente; Título de 1/640; Padrão Nuclear pontilhado grosso. Isso significa que tenho Lúpus? Não apresento esses sintomas descritos, apenas dores ocasionais nos ossos (não sinto nas articulações). Minha clínica geral me encaminhou para um reumatologista. Estou apavorada! Ah!Um portador de Lúpus vive menos que pessoas normais? Estou assustada! Obrigada pela atenção. Iris.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Iris:
Não significa que você tem lupus.
O diagnóstico de lupus depende de outros sintomas além do FAN positivo e, se você não tem outros sintomas, você não tem lupus.
Dizer que "um portador de lupus vive menos que pessoas normais" é tanto verdadeiro quanto falso.
Algumas formas da doença podem diminuir a expectativa de vida mas em outras formas pode-se viver como uma pessoa normal. O diagnóstico correto é que permite prever como a doença irá evoluir.
"Lupus", apenas, não é um diagnóstico. O diagnóstico correto deve expressar a forma da doença: lupus eritematoso sistêmico, lupus discóide, lupus cutâneo sub-agudo, etc.
Cada uma das formas da doença tem comportamento diferente e, no lupus eritematoso sistêmico, a sobrevida do doente depende principalmente de quais órgãos são afetados. Portanto, sem um diagnóstico correto, não há como fazer previsões sobre a evolução.

Hugo hugao disse...

Dr. Cláudio, o post é antigo, mas se poder me responder agradeço. Recentemente tive uma infecção de urina da qual passou para prostata (Prostatite). A cerca de 3 meses, ainda sinto pequenos desconfortos e estou em tratamento tomando bactrin, fui a uma imuno que me passou alguns exames e o Fan deu 1/320 Nuclear pontilhado fino Denso. Sentia também um certo desconforto no pescoço. Há uma possibilidade das infecções terem alterado o FAN ou algum remédio, pois tomei vários antibióticos. Lembrando também que tenho doença celíaca.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Hugo:
Doença celíaca causa FAN positivo.
Se já sabia ter FAN positivo, a causa mais provável é a própria doença celíaca.
Se essa foi a primeira vez que fez o exame, o resultado positivo pode ser devido às infecções, mas antes dessa conclusão é preciso fazer uma avaliação clínica para excluir doenças autoimunes. Nesse caso, consulte um reumatologista.

Lane disse...

Boa Tarde!
Dr. Luiz Claudio,tive TVP há 4 anos e no momento estou tratando uma infecção de micose, então fiz alguns exames e deu FAN Positivo pontilhado fino. Pode haver a possibilidade de ser alguma doença auto-imune, como Lupus?Tenho apenas 25 anos e a médica disse que não é muito comum pessoas da minha idade sofrerem com TVP.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Lane:
Realmente não é comum mulheres jovens apresentarem trombose venosa profunda (TVP) e uma das causas de TVP em mulheres jovens são doenças autoimunes. Há outras causas possíveis, entretanto.
A TVP causada por doenças autoimunes costuma ser de repetição porque, se há algum fenômeno autoimune causando TVP, irá continuar causando e os episódios tendem a se repetir com o passar do tempo.
Além disso, o padrão pontilhado fino não é específico para doenças autoimunes e pode ser visto em outras situações clínicas.
Se em 4 anos você apresentou apenas um episódio de TVP, o FAN pontilhado fino mostra que a probabilidade de doença autoimune no seu caso é muito baixa.
Na dúvida, consulte um reumatologista.

Flavia Albuquerque disse...

Olá, Dr. Luiz. Tenho 20 anos, estou há um mês com períodos de alternância de diarréia e constipação, muco nas fezes e dores abdominais fracas, mas que quando eu vou ao banheiro passam. As suspeitas são de de Síndrome do Intestino Irritável e Doença de Crohn, apesar de não ter nenhum caso na família. Fiz um exame de sangue e deu FAN positivo. Se eu estiver com a Doença de Crohn, o FAN pode ter dado positivo por causa disso, uma vez que ela é uma doença auto-imune? Estou muito preocupada e com medo de ter Lúpus, mesmo não apresentando nenhum dos sintomas característicos dessa doença.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Flávia:
A doença de Crohn pode estar associada com FAN positivo mas, nesse caso, o FAN positivo não tem utilidade para o diagnóstico.

simone portilho disse...

Boa noite ,meu nome é Danielle tenho 18 anos ,a pouco tempo descobri q tinha Purpura pq quase morri,minhas plaquetas chegaram à 1000,não fiz transfusão de plaquetas ,recuperei c pulso terapia.Agora c o tratamento fiz um exame de sangue q apresentou FAN positivo 1/1280 pontilhado fino e o meu Hematologista me encaminhou p o reumatologista.Estou desesperada pq além da purpura posso está c Lupos?Agradeço se puder me responder!

simone portilho disse...

Boa noite!Meu nome é Simone e sou mãe de Danielle q recentemente sofreu c um diagnostico de Purpura pq as plaquetas dela cairão muito e chegaram à 1000.Agora c o tratamento fez um exame e deu FAN positiva 1/1280 padrão nuclear pontilhado fino e o hematologista encaminhou p o reumatologista será q ela está c Lupos? Ela não tem nenhum sintoma da doença.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Simone:
Algumas pessoas com púrpura trombocitopênica imune apresentam FAN positivo mas na maioria o FAN é negativo.
Quando o FAN é positivo, os hematologistas pedem a avaliação do reumatologista porque o risco de a púrpura imune ser apenas uma manifestação de lupus sistêmico é maior - se a púrpura for devida a lupus sistêmico, outros sintomas de lupus sistêmico estarão presentes.
Entretanto, a maioria das pessoas que apresentam púrpura com FAN positivo não tem lupus sistêmico - nesses casos a única doença é a púrpura trombocitopênica imune.
Como o diagnóstico de lupus sistêmico pode ser difícil e envolve a avaliação de outros órgãos além do sangue, os hematologistas preferem deixar esse diagnóstico a cargo dos reumatologistas e solicitam a avaliação de rotina, sempre que o FAN é positivo.
Lembre-se de que ter FAN positivo não significa ter lupus sistêmico, mas a exclusão ou o diagnóstico de lupus sistêmico só pode ser feita em uma consulta médica. Sugiro que aguarde a avaliação do reumatologista.

simone portilho disse...

Obrigada por me responder!

MULTI SERVICE - Auto Spa Delivery disse...

Dr. Cláudio, boa tarde!

Tenho muitas dores no corpo, principalmente nas articulações, dificuldade com o sono, durmo mas não relaxo, acordo sempre cansada.
Meu exame FAN deu NÚCLEO Positivo e conclusão Padrão Nuclear Pontilhado Fino 1:160, minha HEMOSSEDIMENTAÇÃO em 31 e a PROTEÍNA C REATIVA 10,9.
Acredita que possa ser alguma doença alto imune? Preciso procurar um reumatologista?
Obrigada