domingo, 4 de setembro de 2011

O QUE É LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO? ou LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO NÃO É "REUMATISMO" e LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO NÃO É "UM TIPO DE REUMATISMO"


LEIA O EBOOK REUMATISMOS NÃO EXISTEM 

Contém capítulo especial sobre o FAN

 
http://drluizclaudio.blogspot.com.br/2015/09/reumatismos-nao-existem-ebook.html

-->
A doença lupus eritematoso sistêmico se tornou conhecida da Medicina como uma doença de pele.
A palavra "lupus" (do latim, lobo) foi escolhida para representar a mancha característica que aparece no rosto de algumas pessoas com a doença e que pareceu, ao observador que escolheu o nome, semelhante às nuâncias de cor observadas no pelo em volta do focinho e dos olhos dos lobos.
Entretanto, logo ficou evidente que a doença inicialmente chamada de "lupus" era mais do que uma doença da pele, pois as pessoas também apresentavam artrite, alterações nos rins, no cérebro e em outros órgãos. Por isso e porque a lesão da pele da face é tão marcante no início de alguns casos, a nomenclatura moderna da doença conservou a palavra "lupus" - consagrada pelo uso - mas acrescentou a ela dois adjetivos: eritematoso e sistêmico.
Eritematoso, como nome de doença, significa "causador de manchas vermelhas" (manchas vermelhas recebem o nome técnico de eritemas) e sistêmico significa "que pode atingir vários órgãos do corpo".
Assim, o nome lupus eritematoso sistêmico chama a atenção para características clínicas importantes da doença, mas nada revela sobre o mecanismo que a produz.

O mecanismo causador das lesões da doença lupus eritematoso sistêmico é inflamação de origem autoimune.

Em todas as manifestações da doença, autoanticorpos dirigidos contra células normais desencadeiam uma inflamação que pode destruir as células e os órgãos em que elas se localizam.
Assim, a mancha vermelha da face, característica da doença e responsável pelo nome "lupus", é uma inflamação da pele causada por autoanticorpos dirigidos contra células da camada inferior da pele - a derme. A inflamação da derme é chamada de dermatite.
Da mesma forma, as alterações renais são o resultado de autoanticorpos dirigidos contra células dos néfrons, as partes dos rins que filtram o sangue. A inflamação dos néfrons é chamada de nefrite.
Enfim, qualquer manifestação do lupus eritematoso sistêmico resulta de autoanticorpos reagindo com células e órgãos que até então eram normais, desencadeando uma inflamação que produz lesões que prejudicam as funções dos locais afetados.

O lupus eritematoso sistêmico é a doença autoimune que produz a maior variedade de autoanticorpos, já tendo sido descritos nessa doença autoanticorpos contra quase todos os órgãos e quase todos os tipos de células do corpo, razão pela qual a doença pode produzir qualquer lesão, em qualquer órgão do corpo, e se manifestar com qualquer tipo de sintoma.
A variedade de sintomas e lesões que podem ocorrer no lupus eritematoso sistêmico tornam difícil definir a doença em termos clínicos.
Além disso, a ausência de um exame diagnóstico que defina a doença explica as confusões provocadas por FAN positivo e outros autoanticorpos, exames muitas vezes usados para "diagnosticar" a doença em pessoas sem sintomas, que não têm a doença.

Não há lupus eritematoso sistêmico sem sintomas.

Atualmente, o diagnóstico de lupus eritematoso sistêmico é baseado na interpretação do quadro clínico e dos exames de laboratório, e a interpretação é guiada pela análise dos critérios de classificação da doença (leia O DIAGNÓSTICO DE LUPUS SISTÊMICO - PARTE 2).

Os fatos biológicos fundamentais cientificamente comprovados a respeito da doença lupus eritematoso sistêmico são:

1) lupus eritematoso sistêmico É uma doença autoimune;
2) lupus eritematoso sistêmico É uma doença inflamatória;
3) lupus eritematoso sistêmico É uma doença sistêmica, ou seja, afeta vários órgãos do corpo.

Por isso, lupus eritematoso sistêmico NÃO É "reumatismo".

Entretanto, muitos especialistas GOSTAM DE DIZER que lupus eritematoso sistêmico "é reumatismo" ou "é um tipo de reumatismo", mesmo quando "ser reumatismo" não é uma característica biológica de nenhuma doença, é apenas uma maneira obscura de falar a respeito de diversas doenças. GOSTAR DE DIZER que uma doença É "reumatismo" não quer dizer que a doença seja, quer dizer apenas que é assim que pensam os que falam dessa maneira.

Além disso, muitos profissionais que não são especialistas GOSTAM DE DIZER que lupus eritematoso sistêmico "é reumatismo" ou "é um tipo de reumatismo" porque assim não precisam explicar - porque não querem ou porque não sabem - os verdadeiros mecanismos que caracterizam a doença.

Mas agora já há médicos que pensam e que dizem que lupus eritematoso sistêmico "NÃO É REUMATISMO", "NÃO É UM TIPO DE REUMATISMO", pois "reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular; "tipos de reumatismo" não existem.

Para falar cientificamente das doenças devemos recorrer a conceitos científicos.
Conceitos científicos são reconhecidos por características materiais que podem ser demonstradas em laboratório, como inflamação, autoanticorpos, dermatite e nefrite, por exemplo, e são modificados ao longo do tempo à medida que novos conhecimentos científicos são descobertos.
Mitos são palavras vazias, sem significado científico, usadas para satisfazer a vaidade e a esperteza dos que as criaram, "inventando" o que não existe, como "reumatismo", por exemplo, sendo preservados pela tradição das pessoas que os defendem e deles fazem uso para dizer sempre a mesma coisa, espalhar as mesmas ideias e impedir a disseminação do conhecimento.

-->

4 comentários:

Igones disse...

Doutor, tenho 20 anos e sou saudavel e pratico exercicios e há alguns meses comecei com dor no punho e logo depois dor no ombro e logo em seguida dor no joelho. Consigo fazer todos os movimentos, porem tenho dores nas articulacoes citadas. Já fiz ressonancias, ultrasons, raio-x e tudo deu limpo ou quase limpo, nada demais. Li seu blog e vi que devo procurar um reumatologista e vou fazer isso agora mesmo. É normal eu, com 20 anos, ter essas dores? Cansei de fazer exames de imagem e o ortopedista me passar sessoes de fisioterapia.. Obrigado!

cpacheco disse...

Dr. Luiz Claudio,

Minha afilhada foi diagnosticada com "Reumatismo no sangue", mas li em seu blog, em um post de 2008, que isso não existe, porém de segunda para cá, ela está com as articulações inchadas e várias manchas no corpo, inclusive hoje o problema pirou, o inchaço está maior e as manchas estão avermelhadas, como se fossem várias plaquetas em forma de disco, com o centro da mancha branco. Seria reumatismo mesmo? O senho conhece algum médico aqui no DF que possa indicar?

Obrigada

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Igones:

Não é normal sentir dor nas articulações.
Se a dor nas articulações aparece sem que tenha havido traumatismo nos locais afetados, o diagnóstico geralmente será uma das doenças que a Reumatologia estuda e trata, portanto sempre deve-se consultar um reumatologista em primeiro lugar para avaliar esse tipo de sintoma.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

cpacheco:

"Reumatismo" não é porque "reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.
"Reumatismo no sangue" não é um diagnóstico porque "reumatismo no sangue" não existe.
Inchaços de articulações em crianças sempre devem ser avaliados por um reumatologista pediátrico. Sugiro que leve a criança para ser avaliada por um especialista.
Vou lhe passar um nome por e-mail.