domingo, 4 de março de 2012

UMA FÓRMULA PARA "REUMATISMO"?

LEIA O EBOOK REUMATISMOS NÃO EXISTEM

http://drluizclaudio.blogspot.com/2015/09/reumatismos-nao-existem-ebook.html

O leitor Sales postou o seguinte comentário ao artigo TRÊS PICARETAGENS COMUNS COM O MITO REUMATISMO:

Pois bem, uma Reumatologista prescreveu à minha mãe um medicamento para manipulação, composto por alguns dos fármacos citados:
Acetaminofeno, ciclobenzaprina e fluoxteina.
Mas então, isto esta incorreto ou, é o "medicamento certo para o mal errado", ou está correto mesmo??
A internet pode ser uma fonte de informação, mas também de desinformação ou confusão, principalmente para quem é leigo.
Em síntese pergunto: Se um Reumatologista prescrever esta fórmula p0ara manipulação, ela estaria correta, suponho.
Obrigado.


A dúvida do leitor mostra que a questão das fórmulas para manipulação precisa ser melhor explicada.
Em primeiro lugar é preciso deixar claro que a manipulação de medicamentos é uma maneira válida de prescrever tratamentos médicos e nada há de errado na utilização de medicamentos manipulados.
A dúvida levantada mostra que o leitor não entendeu a parte do artigo que trata da manipulação de medicamentos e apenas verificou que a receita que recebeu continha três dos vários medicamentos citados no artigo, ficando em dúvida por causa disso.

Os medicamentos citados no artigo não são proibidos, por isso ninguém deve pensar que, porque recebeu uma receita com alguns dos medicamentos citados, a receita está errada. Pelo contrário, no artigo é explicado que os medicamentos citados são de fato usados no tratamento de várias doenças - são usados, são eficazes e aparecerão em muitas receitas corretas, mas também, quando forem usados para a exploração do mito "reumatismo", em receitas sem fundamento científico.

Portanto, no artigo TRÊS PICARETAGENS COMUNS COM O MITO REUMATISMO:

- não foi criticada a manipulação de medicamentos como forma de tratamento médico; foi criticada a manipulação de uma "fórmula para reumatismo" que contém medicamentos usados no tratamento de várias doenças, nenhuma das quais tem o nome de "reumatismo";

- não foi criticada a associação de medicamentos, que é uma maneira aceitável de simplificar a tomada de vários medicamentos; foi criticada a associação de vários medicamentos em doses baixas (ou excessivas) que, nas doses prescritas nessas fórmulas, não tratam nenhuma doença;

- não foi criticada a associação de medicamentos para várias doenças para quem TEM várias doenças; foi criticada a associação de medicamentos para várias doenças para quem NÃO TEM nenhuma das doenças às quais os medicamentos se destinam;

- não foi criticada a associação de medicamentos com o nome dos fármacos que compõem a fórmula; foi criticada a associação de medicamentos com o nome de FÓRMULA PARA REUMATISMO.

Uma "fórmula para reumatismo" obrigatoriamente deve mostrar a expressão FÓRMULA PARA REUMATISMO na receita ou no frasco que contém o medicamento manipulado.

O fundamento do tratamento médico é o diagnóstico - o mais importante para o sucesso de um tratamento é diagnosticar com exatidão uma doença e tratar corretamente a doença que for diagnosticada.
O recurso à expressão FÓRMULA PARA REUMATISMO para a manipulação de medicamentos tem a única finalidade de sugerir ao doente que o tratamento que está sendo feito é contra "o reumatismo" mas...
- "reumatismo" não é um diagnóstico,
- "reumatismo" não é uma doença,
- "reumatismo" é apenas um mito popular.

Portanto, o problema da FÓRMULA PARA REUMATISMO é que, ao associar medicamentos usados no tratamento de várias doenças e dar o nome de FÓRMULA PARA REUMATISMO a essa associação, o profissional está sugerindo ao doente que a fórmula se destina ao "tratamento" da crença em "reumatismo".

Se a fórmula de um medicamento manipulado contém apenas os nomes dos fármacos que estão sendo utilizados, nas doses corretas, nada há de errado com a fórmula utilizada.
Se a fórmula de um medicamento se destina ao tratamento de uma doença (ou várias), o doente de fato tem a doença (ou as doenças) para a qual (as quais) a fórmula se destina e, além disso, sabe qual é a doença (ou as doenças) que está (estão) sendo tratada (s), nada há de errado com a fórmula utilizada.

Por outro lado, se a fórmula contém a expressão FÓRMULA PARA REUMATISMO, não importa quais fármacos estão sendo utilizados, quais as doses ou para qual doença se destina o tratamento - o recurso à expressão FÓRMULA PARA REUMATISMO induz o doente a crer em mitos (o que é errado) e mostra que o médico não sabe qual doença a pessoa tem.

Por isso, se um profissional lhe der uma prescrição com o nome FÓRMULA PARA REUMATISMO, não use e consulte um reumatologista.
Se um reumatologista lhe der uma prescrição de medicamentos manipulados, use-a.
Se um reumatologista lhe der uma prescrição de medicamentos manipulados com o nome FÓRMULA PARA REUMATISMO, não use e consulte outro reumatologista.
Farmacologia é a ciência que estuda os medicamentos e, na Farmacologia, não existe nenhum medicamento ou fórmula "para reumatismo".

A crença popular em "reumatismo" como doença motiva todas as picaretagens com o mito "reumatismo", que muitas vezes se expressam de maneira sutil.
No caso da manipulação de medicamentos, as sutilezas podem significar:

- associação de medicamentos eficazes no tratamento de diversas doenças para o tratamento de quem não tem nenhuma dessas doenças;

- associação de medicamentos eficazes no tratamento de diversas doenças, prescritos por quem não faz nenhum diagnóstico e, justamente por que nenhum diagnóstico é feito, recorre ao mito "reumatismo" - através da expressão FÓRMULA PARA REUMATISMO - para tentar convencer o doente de que "o reumatismo" está sendo "tratado".

Para não serem vítimas das picaretagens, as pessoas precisam reconhecer que acreditam no mito “reumatismo” e, sabendo dessa fraqueza, conhecer as sutilezas usadas pelos oportunistas para vender produtos que apenas exploram a crença popular.

-->

Nenhum comentário: