quarta-feira, 31 de outubro de 2012

DIA NACIONAL DE LUTA CONTRA - OU A FAVOR? - O REUMATISMO

LEIA O EBOOK REUMATISMOS NÃO EXISTEM

http://drluizclaudio.blogspot.com/2015/09/reumatismos-nao-existem-ebook.html

Hoje, 31 de outubro, os defensores do mito "reumatismo" celebram o que chamam de
DIA NACIONAL DE LUTA CONTRA O REUMATISMO (alguns chamam de DIA DE COMBATE AO REUMATISMO). Para mim, o nome da manifestação é inadequado, qualquer que seja, pois, para representar melhor a realidade dos defensores do mito, deveria se chamar DIA NACIONAL DE LUTA "A FAVOR" DO "REUMATISMO" (ou, para os que preferem a palavra COMBATE, DIA NACIONAL DE "DEFESA" DO "REUMATISMO").

Embora seja uma campanha desenvolvida pelas sociedades de Reumatologia, acredito que a linguagem utilizada encontra mais repercussão entre profissionais e curiosos ignorantes que, não sendo reumatologistas, diagnosticam e tratam "reumatismo", solicitando os "exames para ver se é reumatismo" e prescrevendo os "remédios e fórmulas para reumatismo".

Tenho convicção de que os reumatologistas não precisamos participar ou apoiar tal manifestação, embora pelo país todo haja inúmeras demonstrações de reumatologistas que suportam a campanha e defendem a linguagem escolhida para explicá-la.

Já expus no blog minha posição contrária ao uso da linguagem oficial que divulga "reumatismo" como uma doença ou como "mais de 100 doenças" e "tipos de reumatismo" como sinônimo de "doenças reumáticas". Não voltarei ao assunto. Quero apenas apresentar aos defensores do mito "reumatismo" a evolução do pensamento oficial que surgiu na Sociedade Portuguesa de Reumatologia... (isso mesmo, de Portugal). Os interessados podem ler a declaração NÃO EXISTE O "REUMATISMO" NEM O "REUMÁTICO" - isso mesmo, com "aspas" em "reumatismo" e "reumático"...

Embora tenha recebido com euforia a declaração, tenho algumas críticas à Sociedade Portuguesa da Reumatologia, principalmente por insistir em dizer "reduz mais de uma centena de doenças a uma", defendendo a noção de que o que existe são as "doenças reumáticas" e que chamar todas elas de "reumatismo", "reduz as mais de uma centena de doenças reumáticas a uma".

O que está implícito nessa noção errada é a de "tipos de reumatismo", segundo a qual cada doença "reumática" seria um "tipo de reumatismo", o que apenas preserva o uso da comunicação baseada em "reumatismo".

"O reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular. A maioria das pessoas, quando se referem a "o reumatismo", não estão se referindo a "mais de uma centena de doenças", estão se referindo ao mito, da forma como pensam e acreditam nele. Toda a comunicação baseada em "reumatismo" usada para explicar a dor musculo-esquelética e as doenças que a causam serve apenas para reforçar na população a crença no mito "reumatismo".

Além disso, a Sociedade Portuguesa de Reumatologia orienta as pessoas a: "Se tem dores, rigidez ou inchaço numa articulação, durante um período superior a quinze dias, deve marcar uma consulta com o seu reumatologista. Essa recomendação é inadequada do ponto de vista da saúde pública brasileira pois, levando em consideração as condições culturais do país, dor, rigidez ou inchaço em uma articulação que não sofreu nenhum machucado devem sempre ser consultadas com um reumatologista, a qualquer momento, não devendo o doente esperar quinze dias para procurar o atendimento.

Apesar das críticas que tenho à declaração da Sociedade Portuguesa de Reumatologia, devo reconhecer que representa considerável avanço no pensamento da especialidade portuguesa, que sempre foi árdua defensora do "reumatismo".

Como a Sociedade Portuguesa de Reumatologia far parte da ILAR (International League Against Rheumatism - ou Liga Internacional Contra o Reumatismo" - uma das poucas organizações de reumatologia que conservam a palavra "reumatismo" no nome (a maioria substituiu a palavra "reumatismo" pela palavra "reumatologia"), quem sabe os portugueses consigam transformar a "ILAR" numa "Liga Internacional de Associações de Reumatologia", como aconteceu com a EULAR (European League of Associations of Rheumatology - ou Liga Europeia das Associações de Reumatologia), que já foi chamada de "Liga Europeia contra o Reumatismo")... Esse avanço seria ainda mais significativo.

Uma palavra final a respeito do link para acesso ao artigo da Sociedade Portuguesa de Reumatologia.

Por precaução, quem se interessar pelo assunto deve salvar a página em seus arquivos.

Digo isso porque em 2010 usei um link da Sociedade Brasileira de Reumatologia para ilustrar uma das páginas do blog (REUMATISMOS NÃO EXISTEM), oferecendo acesso ao artigo REUMATISMOS NÃO EXISTEM, publicado na Revista Brasileira de Reumatologia, em 1999. Descobri ontem que o link não funciona mais pois a Sociedade Brasileira de Reumatologia alterou o acesso aos artigos da Revista Brasileira de Reumatologia que atualmente só mostra artigos publicados depois de 2005.

Não quero deixar a impressão de que há qualquer relação entre o desaparecimento do link e o que publico no blog mas, por via das dúvidas, salvei a página da Sociedade Portuguesa de Reumatologia em meus arquivos por precaução, para evitar que ela também desapareça da internet...


ATUALIZAÇÃO EM 10 DE AGOSTO DE 2013.
Como já esperava, a página NÃO EXISTE O REUMATISMO NEM O REUMÁTICO, da Sociedade Portuguesa de Reumatologia, foi retirada do ar e o link original agora aponta para uma página com a expressão UPS! A PÁGINA QUE PROCURA NÃO EXISTE.
Como guardei uma cópia do artigo, a quem desejar ler peço o favor de solicitar uma cópia diretamente para o meu e-mail (lclaudiosilva@gmail.com).

-->

Nenhum comentário: